terça-feira, março 19, 2019

diz que é Dia do Pai


Eu não preciso do Dia do Pai para falar do meu. Também não preciso de Dia do Pai para falar do pai dos meus filhos e na verdade falo pouco dele. Não é por nada mas acho que quem deve falar do pai são os miúdos e não as mães. Eu posso falo do amor que lhe tenho, do orgulho, da paixão e do carinho que nos une há anos. Como ele é como pai só os miúdos poderão dizer um dia mais tarde, tal como hoje eu digo do meu pai. Detesto aquelas frases feitas do melhor pai do mundo. Frases feitas para um dia no ano, não gosto, já se sabe. E depois não há melhor pai do mundo, nem melhor mãe nem melhor nada. Existem boas pessoas, existem pessoas que gostam muito de crianças, existem pessoas que querem educar e existem pessoas que sabem amar. Todos temos dias bons e dias menos bons, dias em que brincamos mais e dias em que nos falta a paciência, ninguém é melhor. Vamos deixar-nos de frases feitas e de ideias feitas. Cada pai faz o melhor que pode, que sabe e que consegue. Somos todos diferentes em dias diferentes, e o que importa é dar o nosso melhor todos os dias. 
Os filhos também não são perfeitos, são filhos. 
(quando enchemos a boca para dizer que tudo é perfeito, alguma coisa está errada)

Feliz dia a todos os pais, (e a todas as mães, a todos os avós, a todos os tios, a todos os amigos e a todos os que fazem da vida das crianças, uma vida feliz e segura). 
Feliz dia a todas as famílias que funcionam, que são felizes, que com ou sem pai fazem crianças boas.
Feliz dia a todos os pais e a todos os que não o sendo gostavam tanto de ser ... hoje e todos os dias!


Bom dia


Maggie

segunda-feira, março 18, 2019

e os sapatos?






estas últimas só em dia de ir à cidade. 
Vou contentar-me com as flats, nos subúrbios quem é que anda de saltos? pois não me parece, ...


Maggie

10:30 am a manhã de segunda feira ...







começa na Zara! Há melhor hora e dia para ir à Zara? para mim não há. 
Apesar de ainda estar frio por aqui, já começa a apetecer deitar um olho à nova coleção. Muitas peças em tons terra e branco. Muitas peças folgadas e confortáveis e muitas peças em linho. Gostei do que vi. Ainda é cedo para experimentar muito menos para usar, ninguém aqui vai mudar de roupa antes do fim de Abril mas já dá para ter uma ideia das coisas que gostei e que quero comprar.

Este ano vou apostar nos vestidos, está visto ;)

Bom dia


Maggie

sexta-feira, março 15, 2019

quarta-feira, março 13, 2019

ás vezes à noite não consigo dormir.


No mesmo Setembro em que a minha mãe faleceu, a minha amiga Teresa também viu a sogra partir. Viveu quase um ano com um cancro do pulmão e infelizmente não sobreviveu. Um ano depois o meu pai recebia o mesmo diagnóstico: cancro do pulmão. E eu, aflita e preocupada perguntei muitas vezes à Teresa várias coisas sobre a doença e a vida da sogra com cancro, já que a senhora viveu esse tempo em casa dela. Ninguém melhor do que ela para me ajudar a perceber que doença era aquela e como foram os meses até à morte. Hoje percebo que a Teresa muito subtilmente disse-me sempre o mínimo, nunca me assustou, nunca entrou em pormenores, nunca me deixou bem saber o que me esperava. Respondia ao que eu perguntava mas não se alongava. Hoje percebo-a porque faço o mesmo. 
A minha amiga Ana tem o pai doente com a mesmo doença e eu não falo nisso com ela. Ela às vezes pergunta alguma coisa e eu tal como a Teresa fazia comigo, respondo o mínimo indispensável. Porque não a quero assustar, porque não a quero magoar e porque não dá para descrever muita coisa, só vendo e vivendo. Por mais que alguém me quisesse explicar, eu se calhar também não queria ouvir, e por isso não quero adiantar-me. Cada um de nós tem o seu tempo e cada um de nós reações diferentes. Na verdade não precisamos que nos contem tudo porque nunca estaremos preparados para o choque. Não vale a pena sofrer por antecipação e não adiantamos nada saber o que se vai passar a seguir. Agradeço à Teresa o carinho com que me deu algumas informações, e agradeço à Bárbara ter-me dado acesso ao blog dela para ler sobre os últimos tempos do pai dela, que faleceu do mesmo mal. Agradeço por terem estado disponíveis para conversar a qualquer hora mas também agradeço terem respeitado o meu tempo e nunca me terem apressado a ver o fim, que é tão triste.

Decidi que vou apagar todas as fotografias do meu pai, tiradas no hospital. Não preciso delas. Causam-me dor e angustia saber que estão ali sempre a espreitar. Carrego aquelas fotos como se fossem uma penitencia e eu não quero isso. O meu pai não haveria de querer nada disso. No fundo não quero aquelas fotografias para nada, não preciso delas para me lembrar do meu pai no hospital, infelizmente estão gravadas na minha memória, nem preciso delas para mostrar a cara do meu pai aos miúdos. Eu tenho imensas fotografias dos tempos felizes e com saúde. Na verdade, as fotografias só lá estão porque me custa encara-las e apaga-las uma a uma. Ter que olhar para elas custa-me muito mas um dia destes ganho coragem, um dia destes apago todas sem olhar muito, porque na realidade para mim o meu pai continua a pintar quadros de cores alegres e a ouvir música clássica, a minha mãe continua feliz no El Corte Inglês a escolher sapatos, a minha avó na cozinha a fazer pão de ló e o meu avô sentado no banco na marquise a olhar para os pássaros. Morreram, mas nunca os esquecerei, e agradeço todos os dias nunca nos ter faltado amor. 
Não preciso das fotografias do meu pai doente para nada, um dia destes encho-me de coragem, olho para cada uma delas e carrego no botão. Um dias destes, quando me sentir com coragem, não me quero pressionar. Vou esperar, vou respeitar o meu tempo, não me vou adiantar.
E o dia do Pai, quase aí ...


Boa noite


Maggie