terça-feira, agosto 30, 2016

não é Verão se não formos apanhar amoras …


Este ano foram com os amigos, traziam saquinhos cheios de amoras e uns pêssegos pequenos.
Enquanto andam na rua não estão em casa sentadas em frente à tv, nem passam os dias inteiros na internet e nem se lembram de comer porcarias.
A Micas emagreceu e ganhou auto-estima.

As férias de Verão estão quase no fim, a escola começa na próxima segunda feira ás 08:30. É aproveitar os últimos dias.


Maggie

segunda-feira, agosto 29, 2016

sábado, agosto 27, 2016

esta minha insatisfação é hereditária

Sou pouco dada a rotinas, gosto de ver outras coisas, de descobrir outros cantos, de ver outras caras. Aprendi desde pequena que o sonho comanda a vida e que o sonho é metade da felicidade até chegarmos ao destino. Ensinaram-me a sonhar e eu aprendi que assim os dias levam-se melhor e que a vida fica muito mais leve. Acredito em pessoas felizes que não sonham, acredito que se possa ser feliz sem ver mais nada do que aquilo que já se conhece mas essa não sou eu. Preciso do novo e da descoberta como preciso de oxigénio. Serão mais felizes as pessoas que não sonham?
Aqui há uns dias um amigo dizia-me que lhe basta dormir o dia todo e comer peixe assado para ter umas boas férias e eu acredito que sim, mas eu preciso de mais, sou exigente.
Não me bastam o sol pela manhã nem os campos verdes que vejo da minha janela, preciso de declarações de amor todos os dias.
Desde miúda que via os meus pais sonharem alto, Paris, eram loucos por Paris. Podiam ter ido a outros sítios mas acabavam sempre em Paris. Depois passámos para Sevilha e eram meses a sonhar e a decidir o que ver e o que fazer quando lá chegássemos. Córdova, Cadiz, Granada, …
Férias numa aldeia perto de Santarém em casa de uns amigos dos meus pais era uma alegria. Falava-se alto lá em casa, a minha mãe contava como decoraria aquela casa se a casa fosse dela, e eu lembro-me de descobrir os livros infantis na biblioteca do tio JM…
E as férias na Costa Nova, em casa de outros amigos? outra festa e mais meses e meses a falar do mesmo, todas as noites depois do jantar quando nos juntávamos na sala, até ao dia de lá chegarmos, e depois quando voltávamos era a excitação das fotografias. 
Os meus pais não eram pessoas paradas, saímos sempre ao fim de semana. Ainda não havia shoppings em Portugal, ía-se ao Jardim Zoológico, ao Aquário Vasco da Gama, visitavam-se museus, exposições de pintura e escultura, passeava-se e almoçava-se por Lisboa, na Graça. Dávamos uma voltinha na Feira da Ladra. Íamos a Sintra, andávamos de coche e entravamos em quase todas as lojas de antiguidades. Andávamos muito a pé e sabia tão bem.
Fui habituada a mexer-me, herdei o gosto pelo convívio e pela conversa do meu pai e a insatisfação da minha mãe. Isto para dizer que já ando a sonhar com as férias do ano que vem, que embora ainda muito longe preciso de sonhar com elas para me sentir mais calma e sossegada. 
(As férias do ano passado foram fantásticas mas as deste ano souberam a pouco, com o bebé pequenino não arrisquei ir para longe. Arrependi-me, o miúdo é um espetáculo podíamos ter ido. Fica para o próximo ano, já ando à procura e a sonhar com uns dias inesquecíveis).

Boa noite



Maggie

uma sugestão literária para pais, nem de propósito …

(Fnac)

Neste novo livro de Daniel Sampaio encontramos algumas respostas para temas dos nossos dias. Algumas questões tratadas para as quais encontrará propostas de solução: - Como proceder perante a utilização excessiva dos computadores pelos mais novos. - O que se entende por alienação parental, guarda partilhada e responsabilidades parentais em divórcios litigiosos. - O que são pais tóxicos e como podem os filhos reagir. - O padrasto pode fazer de pai ou não? O livro diz que sim. - Por que razão está tão difícil a relação entre o professor e o aluno nas nossas escolas? Que poderemos melhorar? - Vale a pena ensinar "Os Lusíadas" como se faz agora? - Que atitude tomar perante os jovens que bebem em excesso? - Que fazer com as recordações do Natal da nossa infância? - Vale a pena acreditar na mentira do ranking das escolas? O autor diz que não. Se gosta de ler também aqui encontrará críticas a livros de ficção. Se prefere cinema leia também apreciações a filmes recentes. São textos curtos que não o deixarão indiferente.



Maggie

passar os olhos pela Activa deste mês …


Para ver a produção fotográfica linda com a Ana Guiomar, e ler a entrevista do Prof. Dr. Daniel Sampaio, palavras sábias e de quem sabe mesmo daquilo que fala. 

Boa noite


Maggie

Óbidos, uma vila pensada para os turistas



Em Óbidos há ginginha em copos de chocolate e lojas de lembranças, porta sim porta não!

Em Óbidos não há uma igreja aberta para se poder visitar, os coches atravessam a vida obrigando quem passeia a pé a encostar-se ás casas. 
Em Óbidos os restaurantes são poucos e caríssimos para as ementas que apresentam. 
Eu já não ía a Óbidos há anos mas como sempre gostei da vila quis mostra-la ás miúdas mas 
vim desiludida com a forma como é explorada turisticamente esta vila tão bonita.

Bom dia


Maggie