quinta-feira, maio 02, 2013

pílula do dia seguinte

A agência dos medicamentos norte-americana (FDA) decidiu a autorizar a venda, sem receita médica, da pílula do dia seguinte a jovens a partir dos 15 anos, noticia a “Lusa”. Esta autorização surge depois de a mesma agência ter proibido, em 2011, a venda livre desta pílula contracetiva de urgência a todas as jovens sem limite de idade.
Esta proibição foi anulada a 05 de abril por um tribunal de Nova Iorque, mas a FDA sublinha, em comunicado, que a decisão não está relacionada com esta situação, mas que responde a um pedido da Teva Women's Health Inc., filial do fabricante Teva Pharmaceuticals Industries Ltd.

Bem tendo em conta que há meninas desta idade com vida sexual que até já fazem contracepção, isto acaba por fazer algum sentido, por mto que custe aceitar. Quem está contra, quem concorda e quem não tem opinião sobre isto?


Maggie

3 comentários:

Rita_in_UK disse...

Nem consigo pronunciar-me. Dentro de 2,5 anos a minha filha tem essa idade. E se sim, é um facto que é importante que tenham meios de emergência ao seu alcance, acima de tudo devem proteger-se à priori usando preservativo para não apanharem doenças, porque a vida sexual deles hoje em dia é muito mais promíscua do que no nosso tempo. E pronto, afinal pronunciei-me. :)
Bjinhs

teardrop disse...

Como farmacêutica acho que há muito trabalho a fazer na parte de educação sexual. Fazer contracepção (sobretudo preservativo que também protege das DSTs) é melhor que tomar uma dose hormonal como a que está na pílula do dia seguinte. Não sei como está nos USA, mas em Portugal ainda há muito por fazer nesta área.

eu disse...

A contraceção de emergêcia é isso mesmo - para emergências, e não para ser usada como contraceção 'normal'. Se assim for, não vejo que deva ter limite de idade, a menos que alguma razão médica (não sendo médica, não sei avaliar), o impeça. Afinal, o que é melhor: uma pílula do dia seguinte ou um aborto às 10 semanas, na mesma rapariga de 15 (ou 14, ou 13) anos?