sexta-feira, julho 05, 2013

vou dar uma ajuda


Não sou pessoa de dar atenção a pedidos de ajuda daqueles que circulam pela internet de pessoas com doenças graves, não tenho o hábito de ler ou de partilhar no facebook casos destes. Talvez porque sou desconfiada, se calhar porque sou sensível e fico logo de lágrimas nos olhos sem poder fazer nada.  Não quero saber, como se isso me mantivesse longe da desgraça. Custa-me muito, prefiro ignorar esta é a verdade, mas ontem á noite no meu facebook dei de caras com a cara linda de uma menina que precisa de ajuda monetária para poder fazer um tratamento para o cancro, na Alemanha. Chamou-me a atenção o facto de uma amiga a conhecer, á menina e á mãe, depois percebi que esta menina é filha de uma mulher que eu admiro, da qual tenho um livro sobre a perda gestacional. Uma mulher que ergueu uma Associação para ajudar outras mulheres com este mesmo problema. Uma mulher com quem troquei uns emails  numa época dificil. Uma mulher que para ter esta menina  sofreu e que está a sofrer agora, porque tem a sua menina doente. Já dei uma pequenina contribuição mas quero dar mais por isso é que ando a revirar os roupeiros em busca de coisas giras mas que eu já não uso, em busca de peças que consiga vender e transformar em mais uma pequenina ajuda para esta menina. No fundo é uma ajuda que acaba por ser tão fácil, eu que tenho o hábito de dar tudo o que já não uso, decidi vender. Vamos ver se consigo juntar alguma coisa de jeito.

Bom fim de semana

Maggie

3 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
AL disse...

Só agora percebi quem é a mãe.
Nunca a vi fazer referência ao caso, só vejo o pai a aparecer.
Aliás sigo-a no FB e só fala da gravidez e que o que a move é o filho que traz no ventre.
Acabo de ficar surpreendida, vi-a tão empenhada a pedir ajuda para vender o livro e não vejo o mesmo para angariar verbas para a filha.

Beijinhos

Bia disse...

A mãe da menina realmente fez um alarido sobre os abortos e o caminho que fez para conseguir a filha a quem chamou Vitória, fez um livro uma associação e etc... Mas a Vitória actualmente com 10 anos de idade e com cancro há 4 anos, está com o pai e com a mãe de coração que são quem está a lutar por ela ...
E essa senhora está com outro homem, grávida e feliz!