quinta-feira, setembro 26, 2013

a vida em tons de cinzento ...

como se sentirá um homem na casa dos 45 anos, casado e com filhos, com formação superior e experiência mas sem emprego, a viver á custa de umas economias que ainda tem, e com a ajuda dos pais?
Um homem em casa ainda consegue ser mais deprimente de que uma mulher, (dizem) afinal homens desta faixa etária ainda se sentem responsáveis máximos por assegurar que nada falta á sua família.
E depois uma situação é um jovem que nunca conseguiu trabalhar na sua área, o que já é triste, mas um homem na casa dos 40 e tal anos que já teve bons empregos, que já contraiu empréstimos que terá que pagar, que já pôs filhos no mundo, (quando ainda se podia escolher quantos filhos queríamos ter) acaba por se sentir ainda pior, não será?

Afinal em Portugal o que acaba por ser pior: ser jovem e ainda não ter tido ainda uma oportunidade de trabalho, ou ter tido e ter deixado de ter?


Maggie

5 comentários:

RAINHA MÃE disse...

Nem posso imaginar o que seja! Eu quando penso em mudar de trabalho perco logo a ideia! Não tenho experiência na área em que me formei e não tenho formação na área em que trabalho.... Só mesmo fugindo deste país é que se tem oportunidades!

Bonitinha disse...

Maggie isto toca-me porque como sabes, passamos por isto. Eu acho que ser jovem ainda que sem experiência tem a vantagem de que pode-se emigrar ou tentar mudar de área, enfim, há mais possibilidades. Ainda mais que na maioria das vezes estão por conta dos pais e não tem tantos gastos. Ser desempregado quando se está mais para a reforma do que para o início é muito mais amargo porque as chances diminuem. Emigrar para o Brasil foi um grande erro, nesta altura da vida, não seria há 7 anos atrás, mas hoje sim, porque o mercado é jovem. O marido passou por maus bocados e andava sempre depressivo por isto mesmo que referiste, acham-se culpados por não conseguirem sustentar a família. E depender de parentes é muito duro, eu hoje até digo-lhe que se acontecer novamente, prefiro andar a rodas bolsinha do que voltar com uma mão na frente e outra atras!
beijinhos e desculpa o testamento.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Sónia disse...

Acho que sendo jovem podemos ir para outros lados e procurar emprego, ir para outros países e começar uma vida lá, agora quando se tem filhos casa para pagar e tudo o resto é uma decisão muito mais complicada, mas se não tivesse outra escolha era o que fazia

Maggie disse...

Ontem encontrei o meu ex chefe e fiquei um bocadinho em baixo com a conversa. Eles tem 3 filhos de 7 ou 8 anos, são trigémeos, é muito duro.

Bjos

Maggie