sábado, novembro 09, 2013

ainda somos um país em crise ou houve alguma noticia que me tenha escapado?

É que esta tarde estivemos numa festa de aniversário de uma amiguinha da Maria Clementina num daqueles sitios de insufláveis, e minha mãe devem ter tido umas 20 festas hoje só durante a tarde. O barulho era ensurdecedor, tínhamos que berrar para nos ouvirmos lá dentro e nem uma simples mesa arranjei para tomar um café. Tive que ficar sentada num banco corrido onde os miúdos descalçam os sapatos, durante 2horas e meia, e não consegui ler nada do livro que levava. Crise? estes sítios não têm crise, nem estes nem as lojas chinesas, hoje também estavam a abarrotar ...

Boa noite

Maggie

9 comentários:

Nany disse...

Eu continuo a dizer que como eum tudo a crise é só para alguns.
Bjs

Belle disse...

Por vezes sai mais barato fazer as festas infantis nesses espaços. Gastamos menos dinheiro que em casa. E pelos nossos filhos fazemos sempre tudo. Mais a mais no seu aniversário. Queremos que tenham um dia diferente.

Susana disse...

Cheira mal a conversa da crise... e essas perguntas então já fedem mesmo!!! Desde quando a crise passa por deixarmos de viver e nos divertirmos? Talvez passe por deixarmos de o fazer tantas vezes como antes...Sim! Mas não de cortarmos por completo os momentos de lazer, e as coisas que de que gostamos! Podemos comprar menos mas não deixar de comprar. E muito menos aos nossos filhos! Os shoppings a abarrotar são uma ilusão...Não pagamos para entrar em shoppings, podemos sair e entrar nas lojas as vezes que nos apetecer e não comprar nada. Há famílias que passeiam pelos shoppings, almoçam ou jantam e não passa disso. Vou tantas vezes ao chinês só ver as geringonças deles. E se comprarem? Não é nenhuma futilidade comprar umas peças de roupa ou calçado, são coisas que precisamos, temos de nos vestir e nos calçar.
Mas porque a Maggie não faz essa pergunta a si própria? Já que também estava nesses espaços. Sim, porque é comum ouvir as pessoas dizer que X espaço estava a abarrotar e onde é que está a crise e bla bla...Mas...Se sabem, estavam lá também, certo? Então talvez a Maggie saiba a resposta a`sua pergunta...Onde está a sua crise? Se calhar vai dizer que não está em crise ou que até não gastou dinheiro nenhum nesses sitios... ! Pois, como se calhar mais de 50% das pessoas que passaram por si. E que pensaram o mesmo de si.
Eu acho triste quem faz estas perguntas, pois parece que desejavam ver um país triste, sem lazer, sem diversão, com os espaços vazios, com toda a gente dentro de casa resignada e triste. Isso nunca irá acontecer, nunca aconteceu em nenhum país, nem na Grécia, nem na Irlanda, e aqui também não.
Eu acho que ainda bem que apesar da crise há quem dê a volta por cima e arranje maneira de se divertir e de comprar as suas coisinhas! Não acha? Ainda num post em baixo falava em como os portugueses são invejosos e não podem ver ninguém bem...Pois parece-me que este post reflecte um bocado isso que criticou. Ora pense.

Maggie disse...

Olá Susana, onde é que leu que eu disse que achava mal o sitio das festas estar cheio e as lojas dos chineses estarem com muito movimento? pois é, eu não disse nada disso. O post reflecte apenas a minha admiração, e já agora quem tiver um dinheirinho que queira investir e não saiba bem em quê, talvez seja um grande negócio este das festas infantis.

Bjos

Maggie

p* disse...

Gabo a paciência a quem atura e paga para aturar esses ambientes! Não chamaria crise mas bimbalhada ao quadrado! :p

Mariposa Colorida disse...

Eu detesto esses sítios. A minha mais nova vai fazer 6 anos e vou fazer uma festa. Não é em casa, mas com insufláveis não é de certeza. Além de que, nesses sítios a comida é sempre à mingua!

ana disse...

Eu não faço festas de aniversário fora de casa nem sequer bolo de pastelaria compro. Sou professora universitária. A empregada que vem 3 vezes por semana a minha casa fez uma festa à filha fora de casa. São prioridades. As minhas filhas não se importam, crescem a saber que não há dinheiro para tudo.

Maggie disse...

Pois é Ana concordo contigo, é mesmo uma questão de prioridades. Eu acredito que algumas pessoas daquelas festas sacrificaram alguma coisa que para mim é impensável cortar para fazerem a festa ali. Temos prioridades diferentes, realmente.

Bjos

Maggie

Sónia disse...

A Sofia no fim de mês vai fazer 6 anos, a festa vai ser mais uma vez feita por mim na integra. Só fiz uma vez num sitio desses e não gostei. Por isso faço cá em casa, faço eu os bolos, as sandes a decoração tudo. E ela gosta assim, fica tudo ao gosto dela, feito como ela quer e com muito amor!!!