terça-feira, dezembro 10, 2013

algumas das grandes verdades sobre a educação

a propósito da entrevista do Dr. Eduardo Sá a uma publicação feminina sobre o seu livro: "Queremos Melhores Pais".

-" O que os pais têm que perceber é que não é possível crescer sem dor."
(acredito que tenha muita razão nesta frase mas custa muito vê-los sofrer, qualquer pai faz o que está ao seu alcance para minimizar esta dor, e todas as outras)

- Mimar não é dar comida na boca dos filhos quando têm 6 anos, não é adormecer os filhos todas as noites na cama dos pais, não ºe levar a mochila até á porta da escola como se fossem mordomos ... e não é dizer sim a tudo.
(confesso que algumas vezes dou a sopa á boca há hora do jantar porque já estão cansadas e ás tantas a sopa fica fria, mas nunca as levei para dormir na minha cama, nem lhes carrego as mochilas até á porta da escola, nem digo que sim a tudo)

- Devia haver nas escolas, logo á entrada de preferencia, o ranking dos alunos faladores, por exemplo. Porque falar é um bem precioso. e á agora peguem naquelas crianças a quem morreu o pai, ou que tiveram um transplante, ou passaram pelo divorcio dos pais, e ponham-nas no quadro de honra, porque elas merecem. Passaram por grandes dificuldades mas no ano seguinte comeram a relva e fizeram um esforço terrível para ter um nivel 3 ou nivel 4.
(que bom que falar é bom, vou guardar esta frase para a reunião de pais na próxima semana, e quanto ao quadro para os esforçados existe na escola onde andam as minhas filhas, e sei que já existe em várias escolas, pena que não valorizem da mesma forma o falar)

- A crise vai criar sofrimento nas famílias, é certo, mas vai ajudar-nos a perceber se temos ou não temos família e impor a verdade nas relações.
(é o que eu acredito e defendo desde o inicio da crise, mas vai doer conhecer a realidade de muitas famílias, é o fim da ilusão). 

- Eu costumo dizer que nós começamos a ser pais ali por volta do 3º filho, o primeiro é sempre uma criança em perigo, porque se mistura a nossa história de vida, porque se mistura os pais que nós tivemos, muitas das coisas que não gostámos dos nossos pais, misturamos os nossos sonhos no sentido de construir um filho tão perfeito que ás vezes são mais os nossos enredos do que a singularidade do nosso filho.
( pois é uma grande verdade, eu não preciso de chegar ao 3º filho porque sei que sou mais exigente com a mais velha que afinal até só leva um ano de avanço da mais nova).



Que vos parece? em que mais é que falham como pais? vá lá, o Dr. Eduardo Sá até diz que os bons pais fazem uma asneira de 8 em 8 horas. 


Bom dia

Maggie

7 comentários:

Rita_in_UK disse...

Que giro, ele disse-me exatamente esta frase na nossa consulta: O primeiro filho é uma criança em risco :D: Por que é o primeiro, porque temos medo de o estragar, de fazer demais, de fazer de menos, de estar a ser permissivos, ou demasiado severos... enfim, o primeiro é o filho "experimental", e é exatamente isso que estamos a passar nós agora com a adolescência da Maria, a sentir-nos completamente sem rede, estilo "tirem-nos deste filmeeeeeee" :). Bjinhs,

Maggie disse...

ai Rita se já tenho duvidas agora nem sei como será na adolescência.

Beijinhos grandes

Maggie

amora disse...

vou pensar em ter um 3º filho a ver :)) o primeiro é isso mesmo, dá que pensar...

Jardim de Algodão Doce disse...

Eu tenho 3 filhos. O primeiro sempre teve tudo e nunca dormiu na nossa cama. O segundo veio e dormiu grandes sonecas na nossa cama. É um miúdo rebelde mas que partilha. O mais velho só dá uma bolacha se o irmão pedir. O do meio dá o pacote todo ao irmão se for preciso. O terceiro ainda é um bebé [tem 5 meses] mas é o mais tranquilo de todos sem dúvida e digo mais, é o que tem menos roupas e mariquices, dorme sestas na nossa cama e também já passou noites. Com o terceiro realmente eu não me stresso como quando foi com o primeiro. Tudo vai-se fazendo como se pode.

Anónimo disse...

Pessoalmente não gosto desse pediatra..tem algo que não me inspira confiança como pessoa, pronto está dito !
eu n faço asneira de 8 em 8h lamento.. faço algumas logicamente.mas passo tempos sem as fazer como qq mãe... alem disso as teorias de uns pais são consideradas grandes tretas por outros.. crianças bem educadas é muito relativo..o q eu acredito pode n ser o q a maggie acredita e por aí além... como tudo na vida, se as pessoas olhassem mais para dentro das suas casas e se metessem menos na vida dos outros ..todos éramos mais felizes..

Maggie disse...

Cara anónima este dr Eduardo Sá penso que não é pediatra, é psicologo, Curiosamente foi mesmo isso que a anonima disse que o ouvi dizer: que devemos seguir o nosso instituto, ser seguros e não ouvir tanto o que os outros dizem ou acham. Penso iria gostar dele se o ouvisse falar, afinal é pai de 4 filhos e experiência não lhe deve faltar.

bjos

Maggie

Rita_in_UK disse...

Pois, se é para curar gripes a anónima faz bem em não ir lá. Não o recomendo de todo!!! :)