terça-feira, janeiro 14, 2014

dos crimes que se passam nas escolas e que ninguém quer ver


A propósito do miúdo de 15 anos que se matou porque não aguentou as agressões dos colegas, muito há a dizer e muito mais há a fazer, mas parece que nada se vai passar, infelizmente. Segundo o inspector da judiciaria que está a falar na TV, dificilmente alguém será acusado. E uns bons tabefes naquelas trombas, não? e que pais são estes que têm miúdos que fazem mal aos outros, também não podem ser responsabilizados? então mas isto é assim? e a escola que sabia da situação do miúdo? e a psicóloga que o seguia, não falam porquê?
Vai bem esta sociedade vai, é o deixa andar, é o depois passa, é o não é connosco, e depois estas desgraças acontecem. E o país acorda admirado. 
Não posso sequer imaginar a dor que sentem estes pais, mas imagino a revolta com eles próprios por não terem conseguido evitar isto, imagino que não consigam ler as cartas que o filho deixou, ou então imagino-os a devorar as cartas numa procura de respostas, imagino o sentimento de grande culpa. Imagino a escola num rebuliço mas tudo passa e daqui por 2 dias tudo voltará á normalidade. E
voltaremos a ter aqueles miúdos que massacraram este, a escolher uma nova vitima e a vida a continuar na mesma. É uma vergonha para todos nós, é uma vergonha que nada se faça, é uma vergonha que estes miúdos fiquem impunes e é uma vergonha que esta morte caia no esquecimento.



Maggie

4 comentários:

Anónimo disse...

Concordo plenamente. É assustador. Foram ceifadas 3 vidas, a do jovem e a dos pais.

Sónia disse...

é tão assustador :(

ana disse...

Pelos vistos a situação do adolescente tinha muito pouco a ver com bullying. Fico muito de pé atrás com estes aproveitamentos mediáticos. Já agora, um dos temas que se fala na educação para a cidadania, no 5º ano, é precisamente o bullying - as minhas filhas estão mt alertadas para o assunto.

OutraMaria disse...

é assustador assistir a noticias destas, quando tenho uma filha na idade escolar deste miudo... é um alerta e uma tristeza profunda para os pais que perderam um filho assim tão cedo... eu tenho medo que a minha filha sofra disto na escola e por isso tento todos os dias conversar com ela acerca de tudo o que se passa na escola.