sábado, março 22, 2014

a casa da mãe e a casa do pai


Cada casa funciona de forma diferente, e agora só funciona a casa do pai Têm lá estado porque a mãe ainda não tem casa para as receber porque a separação é recente, e o pai "vinga-se" e não as deixa ir com a mãe porque a mãe ainda não tem um quarto para elas. Elas parecem desligadas da mãe, estão entregues a si próprias, já que o pai mantém a sua vida mesmo com elas a seu cargo, e elas sem regras, sozinhas em casa numa tarde de domingo com as camas ainda por fazer. Não ligam á mãe e não pedem para ir com ela, ou estão zangadas ou já estão mesmo desligadas da mãe mesmo que só tenham passado 2 semanas desde que estão com o pai. A nova mulher do pai tem uma filha que não se dá com elas, podiam ser amigas mas parece que não se dão, pelo menos não vejo ligação. E o desespero da mãe, e ela a achar que tinha um marido porreiro, e ela a dar por si a pensar que devia ter entregue tudo no tribunal e o tribunal que decidisse dias e horas para estarem com os pais, ao invés de ter sido simpática e achar que podiam entender-se assim, só de boca. Muitas vezes o pai não está quando elas vêm da escola, podiam ficar com  a mãe e depois o pai passava lá a buscar mas ele não aceita, quer as pequenas na casa dele embora fiquem sozinhas um par de horas, sem regras, deitadas cheias de preguiça numa cama por fazer como eu as vi num domingo á tarde! Parece tão fácil e achamos que conhecemos o outro, afinal foram anos de convívio mas na hora da verdade tudo é mais complicado. Não se percebe porquê afinal quem quis a separação foi ele e agora não quer facilitar o entendimento com a mãe, parece uma embirrice  e o pior é tentar não discutir e poder chama-lo á razão porque elas estão lá sempre, embora pareçam desligadas, e a mãe vai aguentando mas não sei por quanto tempo. É um desespero ver as filhas serem tratadas desta maneira, estarem sem ela, e é um desespero para ela ver que está cada dia mais longe das filhas.

Bom sábado a todas


Maggie

4 comentários:

Jardim de Algodão Doce disse...

Quando está tudo bem é sempre tudo maravilhoso. Quando as coisas correm mal, é que se percebe quem é o outro. Quem sofre infelizmente
com isto são os miúdos. Força para essa mãe e esperemos que consiga ter as suas filhas consigo, o mais depressa possível.

Sónia disse...

Espero que não sejas tu esta mãe. mas seja quem for não merece um tratamento assim por parte do pai das filhas e pior as filhas não merecem estar assim. Merecem uns pais atentos a elas juntos ou separados. As filhas não têm culpa das voltas que a vida dá.
Beijos

Mary disse...

Espero que não sejas tu... as crianças é que sofrem sempre com as asneiras dos adultos. Boa sorte para essa mãe.

AL disse...

Não sei que idade têm as crianças, mas eu pedia intervenção da cpcj.
Sozinhas horas?