sexta-feira, maio 09, 2014

ser Mãe


Há aquelas Mães para quem os filhos são sempre pequeninos, aquelas Mães que acham sempre que ainda é cedo, aquelas Mães que não vêem os filhos crescer, aquelas mães que falam para eles em modo bebé de 1 mês quando eles já têm 5 anos e aquelas mães que os protegem das agruras da vida até aos 25 anos, pelo menos. Depois há as outras Mães, aquelas que os vêem sempre já muito crescidos, aquelas Mães que já não os deixam brincar com isto ou aquilo porque já parece demasiado infantil, aquelas Mães que lhes dão responsabilidades maiores do que eles conseguem suportar e aquelas mães que querem que os filhos sejam quase independentes aos 7 anos. Eu sou destas e só há bem pouco tempo é que me apercebi disso. Com a pressa de que cresçam reparei que já cresceram até depressa demais e quando olho para elas acho-as já tão crescidas que ás vezes não deixo que façam certas coisas por me parecerem demasiado infantis. Há pouco tempo olhei para elas e vi que ainda têm 8 e 7 anos acabados de fazer, que ainda há muito que podemos aproveitar da meninice delas, e passei a ser mais permissiva, deixei-as dizer mais patetices e voltei a dar-lhes brinquedos que já estavam arrumados. Passei a relaxar porque percebi que a minha tarefa como Mãe nunca estará feita, enquanto viver serei sempre Mãe e elas irão precisar sempre de mim.

Bom fim de semana


Maggie

2 comentários:

Bonitinha disse...

Eu tenho pressa que o meu filho cresça e seja mais independente. Tenho incentivado a vestir-se sozinho, a guardar os brinquedos depois de brincar, a por a roupa suja na máquina (já que ainda não tenho cesta). Aqui ele vai precisar se virar sozinho, a educação francesa é completamente diferente da nossa. Por um lado até acho bom, quando lembro de uma amiga que é educadora, falar dos alunos de 5 anos que não conseguem ficar sem chucha na aula.
Beijinhos

Mamã Petra disse...

Eu tenho 4 filhos todos tão diferentes e eu acho que não sou nem uma nem outra, acho que o facto de ter casado aos 18, ter sido mãe aos 21 quando ainda andava a estudar, fez de mim uma mãe observadora. O Artur é crescido desde sempre, meu compincha a Margarida é uma artista um ser criativo o Gabriel vai ser sempre o meu bebe, é o mais infantil de todos e a Mafalda a Mafalda é o Artur mas em menina, despachada, crescida e só tem 1 ano. Acho que os deixo ser o que querem apenas ajudo e ensino.