segunda-feira, junho 30, 2014

é assim a vida

Umas vezes levamos uns abanões da vida, outras vezes os abanões vêm mesmo de quem nos é próximo.
Sobre a dor da jornalista Judite de Sousa há pouco a dizer, só ela sabe, só ela imagina, só ela sente, só ela e as outras mães como ela que já perderam filhos. E cada uma sente á sua maneira. Nós sabemos pouco felizmente, não adianta de nada dizer coisas como: é contra natura, devia ser proibido, … já se sabe isso tudo. Agora é preciso tempo, é preciso estar lá ao lado a apoiar mas em silencio. Não há palavras, e as poucas que saem pela boca de quem quer ajudar só irritam, só maçam e de nada adiantam. Agora é preciso descansar, dormir muitos dias, (se se conseguir dormir), sonhar, recordar e chorar muito, e depois tempo, é sempre preciso tempo para aceitar. E para um dia querer sair de casa e enfrentar o mundo sem filhos. Um mundo novo mas vazio.

Bom dia


Maggie

3 comentários:

Na Província disse...

Realmente...

Anónimo disse...

É uma dor tão forte mas tão forte que não tem nome. Quem perde os pais, avós .... ficam órfãos.... quem perde o amor fica viúvo(a)...
Dor dolorosamente dura.... dor sem nome!
Beijos!

Anónimo disse...

o melhor comentario q li sobre a perda da Judite de Sousa.