quarta-feira, julho 16, 2014

ai as famílias numerosas e eu ...


Ontem depois de ter lido mais uma reportagem/testemunhos de familias numerosas fartei-me de rir, afinal são só facilidades, hahahahahaha. Há até um pai corajoso que diz que Deus ajuda, pois também me pareceu que isto era só uma questão de fé. Diz que Deus sempre o ajudou e que até agora não tem faltado, é engraçado que tenha faltado já a tanta família portuguesa. Mas pronto temos que ter esperança no futuro e acreditar.
Agora mais a sério, acho muito bem que cada um tenha os filhos que sonhou, que quer e que pode ter, agora não venham é fazer os outros de tontos e dizer que depois do segundo filho tudo se torna bem mais fácil, é só maravilhas. Dizem que eles vão crescendo e ganhando autonomia, sim concordo, mas não á mesma velocidade que vão nascendo mais crianças em casa, porque se repararmos nas famílias da reportagem as crianças são todas seguidas, e de repente fico a pensar na autonomia que terá já uma criança de 4 anos, quando tem um irmão de 3 outra de 1 e a mãe novamente grávida uauuu… Dizem que ficamos mais organizadas, hum cheira-me que ficamos mais relaxadas isso sim, que a confiança gera mais certezas e que tudo acaba por se encarrilar, e nós acabamos por nos habituar, mas ser fácil duvido. Sim se calhar até se torna mais fácil para quem não se incomoda de viver no caos, para quem não se stressa com um filho doente, para quem pode sair do trabalho para ir buscar as crianças á escola e depois voltar ao trabalho. Eu sou demasiado organizada para ter filhos que me desarrumem a casa toda. As minhas cedo aprenderam onde podem brincar e espalhar mas também cedo aprenderam que se arruma tudo depois de brincar. 
Dizem que é tudo fácil mas depois percebemos que têm profissões que permitem horários flexíveis ou as mães têm a opção de não trabalhar, o que também não é para todos. Mais á frente fala-se numa rede familiar de ajuda que permite tanta gravidez e tanta criança, ah afinal é fácil mas com apoios.  Sim que isto de deixar um filho aqui, outro ali e outro mais além também não é para todos. 
Acho bem que se encham as casa de filhos sim mas não vamos tapar o sol com a peneira, não é para todos os casais nem para todas as famílias. É uma opção como outra qualquer. E depois sempre aquela conversa falsa: não o que dá para um não dá necessariamente para os outros, pelo menos aqui em casa não tem dado. As crianças não nascem todas na mesma época do ano, não têm todas as mesmas doenças, as vacinas fora do plano são individuais, irra e o que eu já gastei em médicos e remédios com elas, e nas escolas os livros mudam de ano para ano, e nem sempre dá para passar livros de uns para outros. O material escolar esgota-se no máximo no 2º período não passa para o irmão a seguir. Na natação paga-se á cabeça e quem diz natação diz qualquer outra actividade. Depois há sempre um filho que precisa de óculos, outro de terapia da fala, outro que precisa de leite anti refluxo e ainda outro de apoio ao estudo, ou estas crianças são especiais e não precisam de nada extra? 
Tudo é fácil sim, quando há dinheiro, apoios familiares, e vontades, claro. Sou sincera, não os considero corajosos, acho-os tão corajosos como quem opta por não ter filhos. Cada um sabe de si e eu detesto quem vem dar lições aos outros, como se fossem uns iluminados. Não gosto desta arrogância que se criou de que quem não tem filhos é egoista, quem tem muitos é corajoso, coisa mais extremista e ditatorial num país ainda livre.

Ah e se eu acho bem que se apoiem as famílias numerosas? acho, acho muito bem mas só depois de garantir que a segurança social também apoia os idosos, quem precisa de medicação diária para viver, depois de garantir que não falta nada para socorrer ninguém. E tem faltado. Ainda ontem aquela noticia escandalosa de que morreram 2 pessoas á espera de uma válvula para o coração porque o Hospital de Santa Cruz já não tinha dinheiro para as comprar,  foi terrível.

Bom dia


Maggie

9 comentários:

Rita* disse...

Subscrevo!!! Os meus têm 20 meses de diferença, um rapaz e uma rapariga, nascidos em diferentes estações do ano. Se Deus ajuda?! Acredito que sim...mas os meus pais estão sempre na retaguarda! Só agora vamos contando com o apoio da minha mãe nas questões práticas (de logística)e de resto somos só nós. Se gostava de ter mais um?!!! ADORAVA!!! Mas porque neste momento ainda estou em casa e dá para me organizar minimamente no caos de ter um marido com horários incertos e filhos com 3 e quase 2 anos. Mas cada vez que vou a uma entrevista é o entusiasmo de finalmente encontrar trabalho e o terror de pensar em como farei a gestão de tudo...Mas também não trocava a minha vida por mais nenhuma ;)Enfim...haja coragem em qualquer das opções!!!
Beijinho

p* disse...

Escreveste algumas coisas com as quais até concordo. Mas Maggie este texto parece que foi escrito com alguma amargura. Ainda bem que há quem tenha muitos filhos. Conheço quem tenha e a partir dos 3 já são independentes a comer, vestir sozinhos e até ajudam a tomar conta dos irmãos. Se calhar não tem tantos carros, colégios e usam roupa dada (pelos primos, pelos amigos) Não acredito que quem tenha muitos filhos seja sempre feliz assim como não acredito que quem não tenha nenhum seja infeliz. Tu sabes que eu não tenho nenhum e não foi por não querer e gosto de ver casas cheias! :)

Sónia disse...

Disseste tudo. Acho que é uma decisão como qualquer outra, mas não são mais pais do que quem só tem um ou dois. São escolhas e ter muitos filhos não é para todas as bolsas.
Beijinhos

Nany disse...

Ainda hoje escrevi sobre isso. Não é um acto de coragem é um projecto de vida. E sim quando temos ajudas corre bem, quando não temos é um caos.
Temos de ser mais organizados, mais orientados e as coisas vão entrando nos eixos, mas também saiem.
Não acho que se tenha filhos à espera do apoio do estado e afins. O que eu defendo é que as famílias têm os filhos que querem/podem de acordo com o seu projecto de vida, com a sua situação. Tenho 3, não me importaria de ter mais, mas não posso e já tomei medidas definitivas para que tal não aconteça. Porque não posso, trabalhamos os dois mas não temos condições de educar mais uma criança.
Claro que uma casa com crianças anda mais desorganizada, mas também se ensina a arrumar, a organizar. Acho que ainda vais ser crucificada por dizeres que és organizada e por isso não queres mais filhos que te desorganizem as coisas. É que não tem nada a ver com isso, tem a ver com a dinâmica da vossa família.
É muito bom ter ajudas, ter família, ter amigos que estejam lá quando é necessário, mas cansa.
Repara que todas as notícias que lês sobre famílias assim tão numerosas são pessoas que podem trabalhar em part-time, que têm uma estrutura familiar por detrás. As outras que lês são de familias desestruturadas em que os filhos ou são mais um nº para o abono ou furto do alcool ou do desconhecimento. As gerações precisam de ser renovadas, mas as infra-estruturas para essa renovação também têm de estar implementadas. Não é possível trabalhar 10h dia mãe/pai e terem 10 filhos.
E quem decide não os ter é tão corajoso como quem decide ter. Egoismo é outra coisa.
Bjs

Bonitinha disse...

Maggie, não mudava nem uma vírgula! Também sou como tu, não gosto de bagunça e com um já foi complicado, nem imagino com dois e muito menos cinco ou seis. É uma escolha de vida que para mim não quero nem nos meus piores pesadelos.
Beijinhos

Anónimo disse...

Tenho 2 filhas e chega..e se a 2ª que é uma espalha brasas tivesse sido a primeira n havia 2ª lolol

ter muitos filhos seja actualmente como antigamente nunca foi nenhum acto de coragem..é qase sempre um acto até bem irresponsável

Anónimo disse...

Concordo contigo

Afonso Cruz disse...

Boa tarde,

Somos um grupo de estudantes de Gestão de Marketing do IPAM Porto e estamos a desenvolver um estudo sobre comportamentos de compra de material escolar.

Após vermos o Blog da Maggie, acreditamos que poderiam ser uma ajuda a divulgar o nosso inquérito online, exclusivamente destinado a mães e pais de filhos entre os 5 e os 10 anos.

Gostariamos de pedir se será possível que respondam ao inquérito.

Se não se importarem de fazer o favor, aqui fica o link do inquérito

https://docs.google.com/forms/d/1yIwlJUZ8qq1ymHLi33zwBW_-CIAaaEwn6_EINtN1gDc/viewform

Obrigado pela ajuda!

Afonso Cruz

Rita Almeida disse...

Muita amargura neste post! Acho sim que as familias numerosas têm de ser apoiadas! Se eles acham fácil e que Deus ajuda, bom para eles. Cada um pensa da maneira que quer. Acho realmente tristes alguns dos seus comentários..
Bem haja