terça-feira, julho 15, 2014

esta covarde que eu sou ...

já sentia que o fim estava perto. Foi por isso que não o levei comigo para o Algarve, tive receio que me morresse nos braços. Foi por isso que o entreguei no veterinário e pedi para fazerem tudo o que fosse possível para o salvar. Por mim ontem nem o teria ido ver, estava tão mal mas as miúdas insistiram e eu lá acabei por ir atrás. Não queria ter ficado com a imagem dele ontem na cabeça. Ontem dos dois telefonemas que me fizeram da Clinica Veterinária não chorei nem uma vez, e quando que deram a derradeira noticia senti um certo alivio. Eu sabia que se ele se safasse desta vez pouco tempo lhe restaria e seria um sofrimento para ele. Não era um cão velhote tinha 11 anos. E ontem quando o veterinário me perguntou se eu queria o cão, já que tenho jardim e muitas pessoas gostam de enterrar os seus amigos, eu automaticamente disse que não. Fomos muito amigos e felizes em vida, não preciso de o trazer para casa morto. Deixei-o lá para cremação, foi mais fácil. E hoje novamente não consegui ir lá sozinha pagar e falar com o veterinário, levei o Bolinha comigo porque tinha vacinas para fazer (desculpas)! O Pu será sempre lembrado, será sempre o meu primeiro cão, aquele amigo que me deu tanto mimo. Lembro-me tão bem quando o fomos buscar a Aljustrel, muito pequenino e assustado, lembro-me quando cheguei a casa e ele ladrou pela primeira vez, o que eu me assustei. Sabia lá que um cão pequenino podia ladrar daquela maneira …, e são essas e mais outras recordações que guardarei sempre dele, as boas. 
Obrigada a todas pela força, um beijinho a cada uma


Maggie

3 comentários:

Cris Crafts disse...

Não és covarde, talvez por a tua dor ser tão grande é que tiveste dificuldade em lidar com isso, somos todos diferentes e ele foi amado sempre, isso é que interessa. Beijinhos

Rita* disse...

:(

p* disse...

São amigos que duram menos que nós mas não gostamos de os ver sofrer... Pensa nos bons momentos que passaste com ele e que agora não sofre mais. Mas é triste sim.