quarta-feira, setembro 17, 2014

o drama das redações ou composições escolares, quem tem?


O puxar pela cabeça para fazer uma história parece tão difícil para os miúdos, pelo menos para as minhas filhas é. Eu nunca fui uma excelente aluna como o meu marido, fui uma aluna normalíssima mas nesta coisa das redacções tinha sempre excelentes notas. Tinha jeito para inventar histórias misturadas com outras que tinha lido em livros, com partes da minha vida ou partes de outras vidas que eu conhecia. Tinha jeito para aquilo e mesmo quando o tema era muito especifico como : o meu natal ou as minhas férias saía-me sempre bem. Lembro-me da folha em branco, e lembro-me das palavras começarem todas a ser escritas á velocidade a que me vinham á cabeça, e ás vezes as ideias eram tantas que já nem sabia por onde ir. E as mais de 20 e tal linhas multiplicavam-se. Mas também me lembro de colegas que não tinham a mesma facilidade que eu, nunca sabiam o que escrever, não tinham jeito ou não se esforçavam, não sei. Hoje deparo-me com o mesmo problema com as minhas filhas. Não sei se têm preguiça ou falta-lhes imaginação mas ficam ali paradas diante das linhas, a olhar. A pensar nisto inventámos um jogo para ajudar a fluir as histórias verdadeiras ou inventadas. Sentamo-nos todas no chão numa roda, e começamos com o Era uma vez, … e depois é só ir acrescentando, Era uma vez um porco, … Era uma vez um porco que vivia numa quinta, … e por aí em diante. Cada uma de nós acrescenta um pouco á história e há uma pessoa que vai escrevendo a história á medida que vamos dizendo coisas para a construir. Fica mais lúdico, menos chato, a imaginação começa a aparecer e o fantasma das linhas em branco também. É só descontrair e começar a escrever!



Maggie

1 comentário:

Outra Maria disse...

Na ficha formativa de portugues da minha filha pedia para contar uma historia e ela lembrou-se de contar a historia que leu (um livro que lhe ofereci nas ferias) Fiquei super contente e a sentir-me uma boa mae, uma boa educadora. O livro O GATO Que EnSINOU A GAIVOTA A VOAR.. adorei a moral dela: devemos sempre ajudar o proximo, mesmo os que são diferentes de nós, é lindo ver isto escrito por ela.
Bom ano escolar para as tuas princesas. beijokas