domingo, setembro 14, 2014

só podemos criar laços fortes e desejar ter filhos com cabeça

Acabo de ver uma reportagem que passou na CMTV sobre o Fábio, um jovem português convertido ao Estado Islamico, um terrorista portanto. O jovem de quem se fala. O terrorista que casou com uma rapariga alentejana de 19 anos que vivia na Holanda com a família também convertida á religião muçulmana, aqueles que casaram sem se conhecer. Uma tal de Angela em bom português porque agora responde por outro nome, tal como o Fábio. E eu fico em pânico, onde é que esta mãe falhou coitada? caraças pá quando é que esta mãe perdeu o filho? e a miúda com quem casou? como é que viajou da Holanda para a Síria com 19 anos? mas esta miúda foi á procura do quê? e só consigo pensar no que terá faltado nestas casas. Se calhar nem faltou nada, se calhar isto é tudo uma grade sorte ou um grande azar, mas como mãe fico assustada. O que sentirão estas mães que vêm os filhos transformados em terroristas do pior? eu não sei o que lhes passa pela cabeça mas a mim que também sou mãe e assim de cabeça quente só me apetece lá ir, dar-lhes dois tabefes a arrasta-los pelos cabelos até casa. Sacanas de filhos que nenhuma mãe merece ter, que nojo, que raiva, isto não se faz a uma mãe. Que pena destas mães e destas famílias, mas uma pena que não me tolda o pensamento, que me faz desejar que nunca regressem. Quiseram ir e eu desejo felicidades, que tenham uma vida longa e que nunca mais se lembrem que têm raízes portuguesas. Tenho pena da mãe Fátima, a mãe do Fábio mas é melhor para ela aceitar e esquecer, esta esperança doentia que mantém no regresso do filho não lhe faz bem, e o acreditar que o menino coitadinho foi levado por gente má também não. O Fábio quis ir, e á Fátima por mais que lhe doa só lhe resta viver a sua vida. Isto de ser Mãe é para sempre e dói mesmo.

Bom domingo


Maggie

2 comentários:

Anónimo disse...

Pode acontecer a qq pessoa e hoje toda a gente monta um cavalo de batalha para ter bons filhos e q correspondam às expectativas sociais e esquecem-se do mais importante que é a privacidade,o respeito pelo espaço dos filhos, a protecção do seu quotidiano etc sempre quero ver daqui a uns anos estas crianças que sao expostas todos os dias no facebook onde estarão e como serão??
se há coisa q n entendo mas tenho mesmo muito interesse em perceber pq tb tenho amigos que sentem a mesma necessidade de andar aqui a contar a sua vida e a expôr os filhos,, sei de casos de bullying na escola do meu filho devido à rica mãe se achar uma espertalhona/boazona no facebook.. sinceramente não percebo mesmo o que faz esta gente pensar q é responsável, corajosa, cheia de carácter por vir para aqui se identificar e muitas delas viver à custa dos filhos etc etc..
o bullying de hoje é principalmente por causa do facebook e da rica familinha pôr os filhos a jeito e ao meu trabalho chegam dezenas de denuncias por dia e sei do q estou a falar..
mas a vaidade, a pobreza de espírito e a ganancia é tão cega..o amor verdadeiro de cego não tem nada e protege a familia como se deve ;)

Nany disse...

A frase do título diz tudo.
bjs