quarta-feira, setembro 03, 2014

uma noite triste


Infelizmente hoje uma menina chamada Leonor perdeu a luta para uma doença má. Uma menina pequena, uma vida tão curta, uma menina que só queria brincar de princesa e que gostava de cor de rosa, como tantas meninas de 5 anos. Era uma menina feliz, com um sorriso grande igual a tantas meninas da mesma idade. Foi muito amada e mimada, felizmente ao menos isso,
E a mãe, o desespero da mãe, mais uma vez é na mãe que penso. Uma mãe que tudo deixou para estar lá para filha ainda tão pequenina, como tantas outras mães em igual situação. Só penso na dor da mãe, na dura provação, na cara desfeita, no choque, no pânico. Sem rumo, perdida sem conseguir falar, sem conseguir pensar, anestesiada pela dor.
Como é que esta mãe vai voltar a viver?

Que triste, esta história era para ter um final feliz.

Boa noite


Maggie

6 comentários:

Anónimo disse...

Já deixei de seguir páginas de crianças doentes simplesmente porque percebi que todas acabam por morrer. É uma doença cruel, têm cura às vezes mas em adultos,em corpinhos frágeis não hipótese.

ana disse...

Não e verdade que todas as crianças com cancro morram (conheço várias que sobreviveram), mas nestes casos em que os cancros estão avançados e as pessoas vão em busca de uma ilusão na clínica milagreira alemã, o desfecho e sempre o mesmo. Basta de alimentar este negócio.

Gaiatas disse...

Uma anestesia longa, para a mãe Vanessa.

❤❤

Rita_in_UK disse...

Realmente duvido da eficácia dos tratamentos dessa clinica. Mas tendo vivido de perto o horror do cancro na infância, entendo que os pais façam TUDO para salvar os filhos. Antes era Inglaterra, agora é lá. Já há muito tinha deixado de acreditar em finais felizes, mas confesso que a Leonor me fez acreditar de novo. Infelizmente foi por pouco tempo :(

Maggie F. disse...

Eu percebo o desespero dos pais e o quererem salvar os filhos a todo o custo, claro que sim, mas ultimamente temos acompanhado vários casos de cancro que foram á Alemanha e nenhum se curou. Infelizmente.

Bjos

Maggie

Ana Cristina disse...

eu felizmente ja vi um final feliz de um menino com esta doença...
Maggie eu penso mesmo como tu... não consigo sequer imaginar a dor desta mãe...
<3