terça-feira, dezembro 09, 2014

para a minha filha de 8 anos não há diferenças

Sempre que lhe perguntam o que faz o pai, responde que é gerente!
Presidente Micas Manuela, o teu pai é presidente (não interessa de quê mas é presidente, nem que seja do clube lá da terra,…) !
Isto aos 8 anos não tem importância nenhuma nem faz diferença nenhuma, para ela claro, que eu conheço crianças da mesma idade que discutem quem é o pai que tem o melhor carro e melhor apartamento, ui.


Maggie

13 comentários:

Anónimo disse...

Logicamente um presidente duma associação do bacalhau por ex n vale nada lol
As crianças so sentem orgulho e discutem como disse n é por casas ou carros mais caros, mas sim mais potentes ou mais cool , ou casas com estilo e claro q discutem pq sentem orgulho.. as que n sentem n dizem nada, é facto.
A humildade infantil só tem a ver com uma coisa, aquilo que os pais muitas vezes pensam que compram, elas sabem muito bem que as miudas q brilham lá na escola são as que têm estilo ou sofisticação e nada disso está à venda.

Maggie F. disse...

Está redondamente enganada. porque as minhas filhas ainda não chegaram á idade a que se refere. Aos 7 e 8 anos ainda não ligam ao estilo ou ao facto de ser cool ou não, gostam do que brilha, está a ver?isso do cool é lá mais para a adolescência. nestas idades os miúdos repetem o que ouvem e discutem tamnhos de casas e modelos de carros mais chamativos, nada mais.
E fique a saber que todas as profissões valem muito, ainda que sejam no comercio do bacalhau, espero que os seus filhos tenham orgulho nos pais pelo que são e não só pelo que fazem.

Um bejinho da

Maggie

Anónimo disse...

"...conheço crianças da mesma idade que discutem quem é o pai que tem o melhor carro e melhor apartamento, ui."
Porque obviamente os pais incentivam. Crianças com a idade que refere não tem maturidade para fazer esse tipo de análise.

Anónimo disse...

Bem, não faz muito sentido responder que é presidente quando lhe perguntam o que faz o pai porque presidente não é uma profissão é um cargo.
O normal seria responder que o pai é engenheiro, economista, gestor, bancária, ou coisa que o valha.
Mafalda

ana disse...

Não percebo a anónima...as que não se "gabam" aos amigos das casas e dos carros e dos trabalhos dos pais é porque não sentem orgulho, é isso?! É que as minhas filhas, embora já estejam a entrar na adolescência, não se vangloriam de coisa nenhuma, e eu tenho a certezinha absoluta que têm muito orgulho nos pais e naquilo que são.
Também não sei o que é brilhar lá na escola, as minhas são boas alunas e educadas, brilham para os professores e para os colegas que têm os valores no sítio certos. Felizmente não sentem necessidade de brilhar para mais ninguém, pode ser que isto mude mas cá estamos para as ajudar a distinguir o bom e o mau. Ah, e as minhas têm saudades de quando o pai era presidente (do quê não interessa) porque tínhamos mais dinheiro :)))azar, também eu gostava mais!
(é que ser presidente ou similar não é um "ser", mas um estado que pode muito bem ser transitório. E convém nunca o esquecer, a conta recheada, a casa e o carro não são necessariamente eternos)

Maggie F. disse...

ui que azedume cara anónima, que para aqui vai.
Trata-se de ter orgulho no que o pai/mãe conseguiram, trata-se de lhes mostrar que ás vezes com muito trabalho e sorte chegamos onde queremos. Trata-se de ambição e de sermos bons no nosso trabalho, só isso. Não se preocupe que as minhas filhas sabem que a profissão do pai é gestor mas como nem todos os gestores têm a vida do pai tive que lhes explicar que por o pai ser presidente precisa de estar mais vezes fora, só isso.
Não é salutar que os filhos tenham orgulho nos pais? a mim parece-me que sim.

Um beijinho

Maggie

Nany disse...

Para ela o pai é o pai, o cargo que ocupa não é importante. É o pai e ponto final.
Bjs

Timtim Tim disse...

Olha, ainda bem que as minhas foram, por uma questão de segurança, ensinadas a não dizer o que o pai e a mãe fazem.

Maggie F. disse...

questão de segurança? mas na escola perguntam, …

Bjos

Maggie

Timtim Tim disse...

Dão uma resposta genérica. Já viste eu e o pai a trabalharmos com crime altamente organizado, como era??? Agora trabalho mais com a àrea empresarial, mas, ainda assim, nunca fiando.

Timtim Tim disse...

Ah! Claro que os professores sabem, tinham de saber. Mas pedimos sempre para não divulgar por esse mundo fora. E, como diz a Nany, para elas somos o pai e a mãe, e falam mais em nós pelo que admiram em nós, que não é propriamente pela profissão. A minha Margarida, por exemplo, aos quatro anos, descreveu-me como sendo a pessoa que fazia as melhores sopas e que gostava mais dela. A Marta descreveu-me como a pessoa que nunca a abandonava quando estava doente. Isto em trabalhos no infantário.

Mary disse...

Maggie também ocupo cargo direcção num grupo e não tenho interesse nem necessidade de demonstrar isso com meu filho e sinceramente nem com ninguém. Estamos todos viver momentos péssimos e mesmo junto de amigos não gosto falar minha posição quando alguns estão fundo desemprego. Sempre fui muito discreta e não vejo nenhuma valia as crianças valorizarem isso.

Maggie F. disse...

Mary, aqui tenho que demonstrar isso ás minhas filhas no sentido de perceberem porque é que o pai as vezes não está em casa.
Tim tim, o problema é então a comunidade escolar? na sala da minha filha há um pai da PJ, há advogados e muitos professores. Também há médicos e malta da tv. Não vejo problema nem constrangimentos por isso.
Bjos

Maggie