terça-feira, janeiro 27, 2015

as mulheres desta família e a vida doméstica- uma reflexão pessoal


A minha avó era uma santa, fazia tudo e raramente reclamava de alguma coisa nas tarefas domésticas. Eram outros tempos, não havia metade do que há agora e as mulheres eram mais conformadas. A minha avó não sabia ler mas gostava de ver televisão e conversar com as minhas tias, mas isso nunca a desviou dos afazeres domésticos e tinha sempre boa cara.
A minha mãe parece uma feminista ferrenha, bem diferente da minha avó, para ela nada está bem. Reclama disto, reclama daquilo, uma revolucionária do lar portanto. Para ela as tarefas são todas uma seca, e a vida domestica uma grande chatice. Vivam as empregadas domésticas!
Já eu saio mais á minha avó, faço as coisas com gosto e dedicação mas não sou tão prendada. Talvez se não existisse a internet, nem os centros comerciais, nem os cafés com amigas, talvez assim eu chegasse lá perto da minha avó... Faço porque acho que faço melhor do que qualquer empregada que já tive, e porque tenho tempo obviamente, mas aviso já que farto-me rápido, ahahahaha.

As miúdas ainda são miúdas mas para já não vejo grande amizade com os panos do pó!



Maggie

1 comentário:

p* disse...

Isso é mesmo das pessoas! As minhas avós não sei, tinham empregadas mas gostavam as duas de tudo limpo e arrumadinho. A minha mãe é mais como tu, também gosta mas tem que ser ela a fazer, acha que faz melhor. E gosta! Já eu nem gosto da maioria das lides domésticas, só cozinhar que adoro e pouco mais e pudesse €€€ e tinha uma empregada a tempo inteiro! ;)