quinta-feira, janeiro 29, 2015

o meu avô António faria hoje 95 anos


Infelizmente já cá não está há muitos anos, não sei precisar talvez há uns 15 anos, mas nem por isso deixa de ser lembrado cá em casa. Dizem que as pessoas que amamos nunca morrem, vivem dentro de nós, acompanham-nos todos os dias, vigiam-nos e eu quero muito acreditar nisto. O meu avô era aquele avô que se preocupava connosco, sempre contámos com ele e ele nunca nos faltou. Perto dele nunca tive medo de nada porque ele era forte e determinado. Não era de grandes sorrisos mas quando eu o enchia de beijos derretia-se todo. Era o meu avô e eu estou lhe grata por tanto … Acredito que um dia nos voltaremos a encontrar e vou voltar a enche-lo de mimos, até lá sei que está feliz por mim, sei que está descansado. Imagino-o a ralhar com as miúdas porque nunca estão sossegadas mas imagino-o feliz. Para mim estará sempre na varanda a olhar a rua calado, ou sentado á janela a ver a sua colecção de pássaros. Para mim ele continua a levantar-se muito cedo para ir trabalhar, a arranjar o seu galão num copo plástico com tampa e a coloca-lo na pasta que levava para o trabalho. Para mim ele continua a deitar-se muito cedo e eu continuo a ficar na sala com a minha avó a ver as telenovelas. Para mim, o meu avô estará sempre lá, no sitio onde esteve sempre, bem guardado no meu coração. 
Obrigada Avô, por tudo.

Boa noite


Maggie

1 comentário:

Annabelle disse...

Que palavras lindas. Fiquei com lágrimas nos olhos.
Beijinho
http://instagram.com/annabelle_madeira/