sexta-feira, janeiro 16, 2015

os caminhos que escolhemos ...


e que nos separaram, e eu cheia de pena!
A minha grande amiga T. vive longe, não nos vemos há quase 20 anos, ( fomos amigas na escola secundária), mas chego á conclusão que já nada tem a ver com a mesma T. que eu conheci, com quem passei férias, com quem passava as tardes á conversa no café, a T. que tinha dramas atrás uns dos outros com os namorados e ex namorados que não a largavam. O mais certo é eu também ter mudado muito mas ela está irreconhecível, defende ideias que eu não defendo, gosta de coisas diferentes das que eu gosto, continua muito amiga dos seus amigos isso sim mas no resto já não é ela. A T. foi morar para longe mas se ela morasse aqui pertinho já não seriamos grandes amigas, não poderíamos ser. Eu não gosto de motas, nem de concentrações de motas, não acho piada a feiras medievais, nunca amamentei as minhas filhas na via publica, (nem fora dela mas isso é outro tema), não  tenho a mania de que vou mudar o mundo, bem esta mania já vem de trás por isso é que sempre se deu mal, sempre me meteu em problemas … Cuida-se pouco, tem uma aparência um pouco desleixada e a pele está feia de tão magra. Foi provavelmente a vida que deu ali uns voltas que eu desconheço e penso nos pais dela. Tantas vezes com tanta exigência com a filha, tanto controlo que lhe faziam, tantas manias que tinham e olho para a minha amiga agora e só penso no desgosto dos pais, que ela é uma rapariga feliz no seu trabalho eu não  duvido, que seja boa mãe eu também não coloco causa, mas feliz? não tem uma cara feliz e não é feliz!
Conheço-lhe o olhar e as expressões, conheci tantos namorados que ela coleccionou,( a rapariga era um sucesso), mas não lhe reconheço o brilho no olhar que tinha sempre. E dói-me porque gosto dela. 



Maggie

6 comentários:

p* disse...

Quando os pais são controladores normalmente a coisa descamba!
Há amigas que deixam de ter haver connosco, também me aconteceu. Às vezes ainda acontece pessoas quererem ser minhas amigas e eu sentir que nunca vou ser realmente amiga. Nem vale a pena insistir. Mas as maravilhosas amigas que tenho desde os 15, 16 continuam a ser as mesmas. :)

Maggie F. disse...

pois eu entendo-te P* esta também era uma amiga desde os 15/16 anos mas tornámo-nos pessoas mesmo diferentes. E percebe-se como és feliz com essas amizades ;)

Um beijinho

Maggie

Anónimo disse...

Já pensou que existem pessoas para as quais a felicidade nao significa comprar malas carrissimas ou roupa todas as semanas? Conhece o suficiente da vida dela atual para julgar o "grau de felicidade"?

Maggie F. disse...

Parece que o facto de eu comprar ou não muitas malas incomoda-a, hummmm… chatice!

Bjos

Maggie

Anónimo disse...

Acredite que nao me incomoda nada. Acompanho alguns posts seus, concordo com algumas coisas mas acho que julga demasiado os outros, o que é chocante quando se trata de julgamentos a crianças.
pense duas vezes antes de julgar quem quer que seja, felizmente também posso comprar quantas malas quiser, mas nao é isso que me traz felicidade e acredite que a muita gente também não!

Maggie F. disse...

Parece que a incomoda sim, senão não atiraria logo essa piada, afinal parece que também me julga…
Como já disse tantas vezes este é um blog pessoal onde escrevo o que me apetece, não se trata de julgar apenas para dizer mal, trata-se daquilo que eu penso, lamento se tenho pensamentos pecaminosos.
E não se preocupe tanto com os meus" julgamentos", eu também sou julgada e acusada todos os dias neste blog. Fosse eu o mal do mundo estaríamos todos bem acredite.

Um beijinho

Maggie