terça-feira, abril 14, 2015

das coisas que eu não entendo

A minha amiga Tim Tim falou disto aqui e eu penso diferente. Na verdade como mãe parece cómodo para mim e para as outras mães a nova lei de acesso ao álcool, por outro lado parece-me que tratamos os jovens como bebés até á maioridade, acho ridículo. Vamos lá ver, ser jovem é testar os limites, até passa-los um bocadinho (é saudável), está na natureza dos adolescentes e jovens fazerem disparates, sejam os do alcool, os do tabaco, os de faltar a umas aulas sem explicação aceitável, os das primeiras experiências sexuais, os de mentir aos pais e dizer que se vai com uma amiga quando na verdade se vai com um amigo, … quantas de nós não testámos os limites? e havia alguém a fiscalizar-nos? daquilo que me lembro a única coisa de me fiscalizava era a minha consciência quando me lembrava dos meus pais, quando me lembrava do que eles me imponham, quando me lembrava de "até onde é que podia ir". Sempre soube, era o chamado ter respeito, e a chamada responsabilidade, sim responsabilidade porque sabia que teria que carregar com as consequências dos meus actos. Os meus pais não me passavam a mão pelo pêlo quando fazia uma asneira, nem culpavam os outros por isso, a responsável por mim era eu. Os meus pais não batiam palminhas cada fez que eu fazia alguma gracinha (só com uma grande graça, ahahaha), os meus pais educaram-nos. Deu trabalho mas deu frutos bons. Foi assim que cresci, é assim que ensino as minhas filhas. O que me parece que esta nova lei trás é a desresponsabilização dos jovens, dos pais e da escola, culpam-se os comerciantes que vendem as tais bebidas, é mais fácil para todos. E vamos ter bebes de 18 anos a fazer cada vez mais tontices em idade em que já deviam e podiam trabalhar. Vamos adiar a adolescência e a juventude, vamos perpetuar a criancice na idade adulta, enfim cada vez teremos mais quarentões bebés!

Beijnhos


Maggie

Sem comentários: