terça-feira, abril 21, 2015

diz que há miúdos do pior


mas com 8 anos? hummm...
Ontem quando cheguei á escola com o bolo (uffa), para cantar pela ultima vez este ano os parabéns á minha Maria Hortaliça, vi logo o Manel á porta. Perguntei se estava de castigo, disse logo que sim com ar angelical. Eu sei que já toda a gente me disse que o miúdo é terrível, mas quando quer sabe ser doce e querido, responsável e simpático. Ele pode ser terrível, não vou questionar isso mas é giro e tem pinta.  Conheco-o desde os 4 anos. É aquele terrível de se portal mal para ser engraçado e para chamar a atenção, não é mal educado no sentido em que não diz palavrões, não empurra nem magoa os outros miúdos, tem notas entre o razoável e o Bom. Deixei-o responsável pela minha mala e pelo bolo, portou-se lindamente. Na volta, a minha mala e o bolo estavam intactos. Quando nos chamaram para irmos cantar os parabéns ele não foi, continuou de castigo, custou-me. Sim, já sei que o miúdo é terrível mas para mim nunca foi, nunca vi, nunca me irritou e como mãe da Maria com o bolo de aniversário na mão, tive vontade de lhe dizer para vir cantar os parabéns. A filha é minha mando eu. Claro que não o fiz, não contrario as ordens de outros mas pareceu-me mal. Acredito que o miúdo seja terrível não me parece é que o facto de ficar fora da sala e de não cantar os parabéns á minha filha o vá tornar melhor, mais sossegado e ajuizado. Estive ali sentada á conversa com ele uns 10 minutos, acho que ele quer atenção. Senti que ficou surpreendido por eu lhe tive dado conversa. É nestas alturas que me questiono para que serve uma escola com duas psicólogas se não vi nenhuma ajudar? Então ele fica ali assim livre e solto do lado de fora da sala? 



Maggie

8 comentários:

Vidas da Nossa Vida disse...

Concordo com o teu texto. Só o deixou ainda mais amargurado e com vontade de embirrar e portar-se mal.

Inês Sousa disse...

A necessidade desse miudo é a necessidade de muitos outros: precisam de atenção, de ter alguem que fale com eles, que os ouça antes de lhes ralhar ou de os castigar. Eu acho que não há miudos maus há simplesmente adultos que não se sabem comportar diante de uma criança. Porque em última análise são os adultos os responsaveis educar e ensinar e ouvir as crianças, eles não vieram ensinados e muito menos se fazem acompanhar de livro de instruções. Mas é mais fácil rotular e castigar. Coitado Manel que ficou sem uma fatia de bolo e sem o convivio dos coleguinhas, aposto que foi muito instrutivo para ele (ou não).

Maggie F. disse...

Se este miúdo fosse terrível teria tirado alguma coisa da minha mala, ou destruído o bola da Maria, mas portou-se bem. Eu pedi-lhe o favor, agradeci-lhe e reparei que ele ficou admirado. Falou do irmão pequenino com olhar doce, quando lhe perguntei quantos meses já tinha e fiquei cheia de vontade de não ficar com o curso acabado na gaveta se um dia o for mesmo terminar.

Bjos

Maggie

sandra disse...

Só o simples facto de ele ser terrível mas naquela de chamar atenção e não de ser mal educado ou magoar os colegas já não faz dele tão terrível assim, cada vez mais se vê meninos a magoar os colegas só porque sim e a serem mal educados com professores e funcionários para mim esses são os tais terríveis .Achei um absurdo a professora não chamar o menino simplesmente só para cantar os parabéns foi um exagero exclui-lo dessa forma, de certeza que é como dizes o menino só precisa de atenção,bjs

ana disse...

Infelizmente penso que as escolas privadas (não posso generalizar mas falo das que conheço) não sabem lidar com os problemas de comportamento das crianças, como se meninos mal comportados (seja lá o que isso for) fosse exclusivo de crianças de meios sociais mais desfavorecidos. Na escola pública já se prevê que muitos não terão o melhor ambiente familiar...e darão problemas. Na escola (pública) das minhas filhas (2º ciclo) se um aluno é posto na rua tem obrigatoriamente de ir para um espaço vigiado (biblioteca ou sala de estudo), no 1º ciclo a questão nem se punha, nunca viria para a rua, no máximo (se a coisa estivesse a correr mesmo mal - e estou a falar de uma escola com bastantes alunos de etnia cigana, por ex!) o menino iria um bocado para o pé das auxiliares até se acalmar e vigiado por elas. Não entendo que se ponha uma criança de 9 anos num corredor sozinho e se impeça de ir cantar os parabéns, não entendo mesmo. Mas aqui acho que os pais, como clientes, devem exigir mais e melhor!

Maggie F. disse...

Eu concordo contigo Ana, também acho incrível um miúdo de 8 anos, (está no 2º ano) ficar de castigo lá fora livre e solto …

Maggie

Sentada na ponta da lua disse...

Acho que esse castigo apenas poderá ter efeitos negativos. E acho até cruel não o terem deixado participar na festa de aniversário da coleguinha!

Anónimo disse...

Acho que tens razão. Na sala da minha filha havia um menino que se portava mal. Dizia asneiras, batia nos outros meninos... Eram asneiras atrás de asneiras. Numa das festas na escola ele quis ficar ao pé de nós e eu fiquei admirada com a doçura da criança. Tão meigo para o meu filho. Se ele tivesse deixado tinha-o esmifrado com beijinhos. Fartou-se de conversar conosco. Os pais não estavam presentes. Aliás, poucas vezes os vi nos dias abertos aos pais. Notava-se que precisava de atenção e acredito que devia receber muita dos pais. A prof. lidava muito bem com o comportamento dele. Não passava por alto mas conversava muito com ele e nunca o colocou fora da sala.

Fico sempre com pena quando vejo miúdos mal amados/orientados.