terça-feira, agosto 18, 2015

carta ás minhas filhas (para lerem hoje e todos os dias que se sintam incompreendidas)

Eu sei que há mães fantásticas, sim eu sei que há mães que respiram pelos filhos só para eles não se cansarem, mães que põem a sua vida nas mãos de uma criança de 6/7 anos. Eu sei que há mães que parecem fadas e é só a criança pedir que imediatamente o que ela quer, a mãe fada faz aparecer. Eu sei que há pais que perguntam tudo e só fazem o que o filho quer e na hora que quer. Eu sei há pais extraordinários que ficam em casa se a sua criança não quer sair ou saem se a sua criança disser que quer sair, eu sei porque vocês já me disseram á hora do almoço. Eu sei mas não me interessa, eu não sou mãe fada nem tenho varinha e gosto pouco de crianças caprichosas. Quis ser mãe para fazer de vocês boas pessoas e quis ensinar-vos serem felizes, não quis ser mãe para satisfazer caprichos e viver só a satisfazer vontades. Lamento mas ser mãe não é nada disto, era bom, e até seria mais fácil. Se eu tivesse a vossa idade também gostava de ter uma mãe dessas, quem não quer? estala-se os dedos e a magia acontece. Mas a vida não é assim. Só me pergunto como vai ser quando esta criança perceber que há contrariedades? e quando alguém lhe disser que não? Infelizmente nos vossos sonhos aquela "família anormal" seria o ideal, e eu até percebo mas se repararem alguma coisa ali não está certa. Já viram  que aquela amiga nunca ri, já reparam que não grita, que não salta, que não revela entusiasmo? já repararam que não pede sff nem agradece? provavelmente acha que por tudo lhe cair no colo lá em casa, na vida com as outras pessoas também pode agir assim, não será? E já reparam que não é porque lhe concedem todas as vontades que ela tem uma cara feliz? não tem, tem um ar enjoado. E é triste ver crianças que não riem e têm um ar enjoado, não acham?
Eu sei que há mães fantásticas que vocês já me explicaram há hora do almoço, porque para satisfazer um capricho desta menina os pais pegaram no carro e foram a correr comprar o que ela pediu, eu sei mas continuo a não estar interessada, é como vos disse: cada familia funciona á sua maneira e a nossa funciona de uma maneira diferente desta onde nem um bebé de 9 meses se ouve chorar. Vocês sabem que podem contar connosco para tudo, sabem que na verdade nada vos falta, sabem que quando estão doentes há mimos a dobrar mas este tipo de família que é comandada por caprichos de uma criança com 7 anos lamento mas não. Isso não seria educar, seria outra coisa qualquer.
Eu sei que vocês percebem tudo o que eu disse, e sei que é fácil ficarem deslumbradas com tanta facilidade, mas quero que saibam já para vosso bem  que a vida está cheia de contrariedades. É por isso que não vos satisfazemos todas as vontades. É uma chatice eu sei.

Beijinho da Mãe Maggie

5 comentários:

Nany disse...

Quem disse que ser mãe / pai era fácil?
Bjs

TheNotSoGirlyGirl disse...

Uau. Adorei. Lembro me quando tibha essa idade e era exactamente isso que queria da minha mae e hoje compreendo que se ela tivesse sido assim eu nao seria a pessoa que sou hoje. Os teus miudos estao a ser super bem educados!

Alex disse...

Se eu escrevesse uma carta ao meu filho, seria muito parecida com a tua!

Anónimo disse...

Perfeito... e infelizmente o mundo está cheio de paizinhos e por vezes é difícil fazer ver às nossas crianças que nada daquilo é saudável.

Mamã Petra disse...

Assino e subscrevo, a vida é cheia de contrariedades desde o 1º minuto, e educar é isso mesmo, os pais são a autoridade, não são os amigos.

Beijinhos