domingo, outubro 18, 2015

imagens presas na minha mente

A minha mãe faleceu a um domingo, a minha filha mais velha nasceu num domingo.
O padre a circular pelos corredores da unidade naquele domingo, e eu tenho andado a pensar se só lá vai quando alguém está á beira da morte ou se que circulará por lá todos os domingos? e será que dá a extrema unção a todos os doentes que lá estão entre a vida e a morte? é que a minha mãe não era religiosa, foi baptizada em bebé, fez a primeira comunhão, o crisma, … mas depois de adulta afastou-se da igreja, não acreditava nem na igreja nem nos padres. E o policia que também lá estava nesse domingo, a cara do policia com papeis para a frente e para trás. Passado o choque inicial as imagens que na altura me passaram ao lado afinal parece que ficaram cá registadas, e agora vêm-me á ideia assim umas atrás das outras em catadupa. Os domingos passaram a ser dias tristes, carregados e angustiantes.

Bom resto de fim de semana


Maggie

4 comentários:

esperto que nem um alho disse...

O nosso cérebro tem recantos escuros, cujo conteúdo permanece na penumbra até que algum acontecimento volte a iluminar.
São memórias esquecidas, mas nunca apagadas... :/

L. das horas disse...

Pequenos pormenores que nos ficam registados e que só mais tarde nos lembramos deles. às vezes bons, às vezes maus. Eu também nasci num domingo. :)

Rita_in_UK disse...

Maggie, o Padre só dá a santa unção a quem a queira receber, ou a pedido da família. Todos os hospitais têm um capelão. Onde eu trabalho agora também temos. Reza missa só às quintas, mas imagino que o chamem sempre que necessário. Mas sem imposições. Bjinhs, e espero que os domingos ainda te tragam muitas alegrias pela vida fora.

Papoila Bem Me Quer disse...

O tempo é persistente e não gosta de ser contrariado. Um dia, os domingos vão passar a ser só domingos. Esse outro domingo será sempre recordado mas com amor em vez de angústia.

Eu também tenho/tive um domingo desses.

Um beijinho,
Papoila