quinta-feira, novembro 12, 2015

afinal o que é ser independente?

Ser independente é contarmos apenas connosco, e este connosco pode significar um casal,  e conseguirmos gerir a vida sem estar dependentes dos outros, de outra forma não há independência nenhuma.
Raras são as pessoas que podem dizer que são independentes financeiramente, mas nem é desta independência que falo agora, falo da independência social e familiar, da ilusão de que se é independente só porque se tem um  carro á porta, por exemplo, esta já me disseram. Podemos ter mais mobilidade mas independência é outra coisa. Independência é ter liberdade para falar, para agir, para fazer escolhas, para partilhar ideias e opiniões sem medos. Tenho várias amigas ditas independentes que são completamente dependentes dos outros. Ás vezes das opiniões dos maridos para fazer qualquer coisa, outras dependentes dos conselhos dos pais e outras ainda dependentes das escolhas dos outros á volta. Também conheço quem seja dependente da mãe ou da sogra, ou porque esperam que lhes façam o trabalho doméstico ou porque esperam que lhes fiquem com os filhos a qualquer hora. Isto é ser independente? não é, mas a maioria vive na ilusão de que sim!

Ahh, e também há divorciadas dependentes das orientações e "mandos" de ex-maridos em relação á educação dos filhos por exemplo, ou isto já será falta de confiança? ou será que nunca querem assumir as responsabilidades nas escolhas que têm que fazer pela vida fora? Isto de ser independente é para crescidos, a verdade é essa.

Pessoas imaturas nunca serão independentes, nem ganhando o suficiente para se sustentarem!

(Ahh e aquelas pessoas independentes que partilham os perfis do facebook com os companheiros?)

Beijinho


Maggie

5 comentários:

Anónimo disse...

"À" escreve-se assim e não assim "á". Somos todos seres dependentes...uns mais outros menos. Ninguém consegue viver totalmente independente.

Anónimo disse...

Todos dependemos em alguma coisa, em algum momento dos outros.é perfeitamente natural...
eu considero-me independente muitas vezes e no seu ponto de vista q n concordo nada..devo ser dependente pq realmente a opinião dos meus pais por ex é extremamente importante para mim e tem peso nas minhas decisões, pq afinal são os únicos q tenho a certeza q interferem para o meu bem :)
Perfis partilhados no Facebook significa partilha...acho q nada mais do q isso..
Todos os independentes homens q eu conheço no Facebook enviam msgs privadas impróprias e convites ainda piores lol
Experimente ter amigas giras e divorciadas e vai perceber o q são os homens casados independentes no facebook haha

Maggie F. disse...

Cara anónima (2ª anónima nestes comentários), eu estou-me borrifando para os homens independentes no facebook que se metem com mulheres giras e divorciadas, eles lá saberão. O que eu não gosto é de partilhar ou enviar mensagens amigas e saber que sou lida pelos maridos, acho péssimo. Não é que se tratem de assuntos que não possam ser lidos por outros mas quando envio uma mensagem para alguém é para esse alguém, ponto. Não partilho emails nem contas de facebook com o meu marido, você partilha é isso? por causa das tais amigas divorciadas e giras?

Bjos

Anónimo disse...

Eu nao partilho só mesmo pelo facto que o meu marido não usa facebook pelo menos q eu tenha conhecimento .
Mas tenho acesso ao email do meu marido e ele ao meu... sinceramente não vejo nada de mal nisso pq nem faço nem recebo mensagens q o meu marido n possa ler A mim é q já n me parece nada normal é uma relação com segredos de parte a parte.. pq eu n chamo a isso privacidade.. privacidade é ter acesso e simplesmente não ler por ex as amigas.. agora esconder é igual a independencia??? lolol q pior dependencia q a mentira??

Maggie F. disse...

esconder? mas desde quando é que partilhar conta de email ou perfil de Facebook é sinónimo de união e confiança dentro do casal? privacidade é uma coisa que nada tem a ver com mentira ou com esconder, pelo menos para mim. De qualquer modo este post nem é sobre este tema dos emails comuns ou facebooks partilhados pelos casais, é sobre a ilusão de independência em que hoje se vive, ou em que muitos acreditam viver. Bjos grandes.