terça-feira, novembro 03, 2015

as escolas privadas não são todas elitistas, não podemos generalizar.

há pais que pagam sempre com atraso, outros até pagam em prestações mais suaves. Há quem leve almoço e lanche de casa para ficar mais barato, e quem até vá almoçar a casa, (quase a correr) para evitar pagar o serviço de refeitório. Há pais que os têm ali não por snobismo como tantas vezes se conclui erradamente mas porque fica perto de casa ou do trabalho, e/ou porque as escolas publicas que lhes podem sair na rifa podem ser as que ficam na ponta oposta do concelho. Alguns são os avós que pagam as mensalidades, outros são os avós que pagam as actividades extra. Alguns pais apostam tudo numa boa primária para a seguir poderem largar os filhos na escola publica. As escolas privadas não entrevistam  todas os futuros pais nem os futuros alunos. As escolas privadas não fazem todas exames para seleccionar as entradas. Acredito que existam escolas privadas que fomentem o elitismo, não é o casa das escolas que eu própria frequentei nem é o caso das escolas por onde as minhas filhas têm passado. Não é só na escola publica que há de tudo, como se ouve dizer, na escola privada também há. E não é só na escola publica que as crianças descobrem o mundo lá fora, isso cabe aos pais, todos os dias lá em casa!
Há um preconceito em relação á escola privada baseado apenas e só em meia dúzia de escolas elitistas de nome sonante. E depois também há uma irritação mal disfarçada por parte dos pais que gostariam de ter os filhos nessas mesmas escolas conhecidas mas que, porque o orçamento não chega lá ficam azedos. Sejamos honestos connosco próprios e vivamos em paz com a vida que temos, ou que podemos ter. Em paz e sem atacar os outros.
(post também em resposta aos "ataques" diários quase furiosos* de um familiar distante  que tenho como amigo lá no meu facebook, ahahahahahahaha)


Maggie


* ataques furiosos a qualquer pessoa que tenha aquilo que ele acha que deveria ter mas não tem. ataques furiosos a quem ele acha que tem o que ele não consegue ter. ataques furiosos a qualquer pessoa que tenha qualquer coisa a mais do que ele, não a mim em particular livra!

6 comentários:

Anónimo disse...

Eu tirei a minha filha do ensino privado para o ensino publico pq devo ser das únicas q achei o ensino privado mto mal frequentado e com crianças estúpidas e mal formadas . Admito que fui influenciada por amigas q têm os filhos no mesmo colégio.
Pois é realmente verdade que a maioria deve coiro e cabelo ( inclusive algumas conhecidas minhas ) por todo o lado para ostentar os filhos no colégio privado. O meu negócio e de qq um dos meus vizinhos por aqui q o diga ;)
A minha filha hoje é muito mais feliz e principalmente mais solta e arejada.
Se isto é a vida real ? Sim, acho q sim..pq a melhor viagem das nossas vidas é feita em liberdade e nada do que é privado é livre, seja elitista, não seja...
mas no fundo todos nós sabemos q só metem os filhos no privado pq deliram q lhes dá estatuto social lol
Estilo e carisma não está a venda pq se assim fosse introduzia no meu negócio e ficava multi milionária lolol

Timtim Tim disse...

Eu tenho as minhas filhas no público porque tenho uma boa experiência do público, onde sempre andei, onde sempre gostei de andar e onde me formei (com a contribuição enorme dos meus pais, claro está) como adulto responsável e com valores. Não percebo que se paguem propinas em suaves prestações mensais ou que sejam os avós a pagar o que quer que seja, quando o ensino é, por Lei Constitucional gratuito. Cada um faz o que quer, o meu orçamento permitia-me tê-las num colégio particular, mas sou cem por cento apologista do ensino público. Toda a minha família frequentou o ensino público e na vida não nos temos saído mal. Por isso, em equipa que ganha não se mexe.

ana disse...

Tenho as miúdas na escola pública e não faço gala disso, nem sequer posso dizer que é por convicção porque a)onde vivo só há um colégio privado e considero-o fraquinho b) podia pagar 2 prestações se fossem razoáveis, não se fossem de 500 euros cada.
Dito isto, não tenho absolutamente nada contra quem tem os filhos em colégios. Mas também assumo que se tivesse as minhas em colégios havia de ser um que correspondesse de forma muito exata ao considero ser o meu modelo de educação. O que acho incompreensível é algumas pessoas tolerarem tudo e mais alguma coisa em colégios privados - coisas que as escandalizariam em escolas públicas. Não é que não me queixe e reivindique na escola pública (por acaso hoje lá vou para um conselho de turma, porque mais uma vez sou representante dos pais da turma), mas se estivesse a pagar pelo serviço...ai haviam de me ouvir e muito. Quanto a invejas, há as em todo o lado. E aposto que a maioria dos pais (não todos, claro que não) se sente um bocadinho acima dos outros por poder (ou fingir que pode) dar aos filhos uma educação...mais esmerada (lol).

Rita_in_UK disse...

Os meus estão num colégio com um modelo em que acredito. Porque puxa pelo melhor que os miúdos tenham e não tenta só ser uma fábrica de "profissionais de sucesso" mas sim uma escola para formar adultos felizes e realizados. Se podia ser mais elitista? Podia. Ainda lá andam uns filhos de pais que não perceberam muito bem em que escola puseram os filhos, e dificultam a vida aos profissionais que lá trabalham e aos outros pais. Bjinhs

AlexCardoso disse...

Nunca comentei, apesar de seguir o seu blog. Felicidades para o Manuel!
mas isto das escolas públicas vs privadas... a minha filha anda num Colégio desde os 2 anos, está no 4º ano, e por lá vai continuar até eu e o Pai acharmos que é o melhor para ela. É confortável para nós, pois não temos apoio familiar e não necessitamos de recorrer a ATL para "tomar conta" depois das aulas. A educação, que recebe em casa, permite-lhe saber que não é por frequentar um colégio de renome que é superior a qualquer outra criança da idade dela, seja branca, preta, ou rica ou pobre.
E convenhamos, não é por frequentar um Colégio que é menos livre, menos criança.

Maggie F. disse...

Pois, eu concordo com tudo o que disse Alex.

Felicidades para a sua família


Maggie