quinta-feira, dezembro 10, 2015

3 meses depois … hoje é um daqueles dias em que preciso de colo.

Há dias mais fáceis do que outros, e há dias em que "preciso de colo", de mimo, de não me sentir sozinha. Há dias que passam bem e outros em que a cabeça foge para visitar imagens, para ouvir palavras, para voltar aos locais que me lembram os dias em que a minha mãe foi operada e para os dias seguintes. Há noites em que deito a cabeça na almofada e vejo-a ali, uma ultima vez, já só agarrada a uma máquina á nossa espera para a deixarmos ir. Há dias que custam mais, há dias em que parece que sou outra vez pequena e sinto que preciso da minha mãe. Há noites em que as imagens passam á minha frente e tento não ver, prefiro esquecer mas não consigo. Há dias em que custa mais não ter mãe, e os dias de Natal que estão a chegar vão doer, vai ser o primeiro Natal sem Ela. 
Estou grávida, e penso muitas vezes que a minha mãe não vai lá ver-me quando tiver o Manel, nem vai ficar a olhar pelas minhas filhas mais crescidas, nem vem cá a casa tratar dos cães, e perco toda a vontade de aturar os outros, porque gostava de poder contar com a minha mãe, e não posso. Vai custar-me não ter lá a minha mãe para dar os seus palpites, vê-la fazer as suas caras feias quando não gostava de alguma coisa, criticava-me tantas vezes e eu criticava-a a ela, mas sempre foi assim, nunca nos entendemos lindamente mas era a minha mãe. E faz-me falta.

É tempo de Natal e custa mais um bocadinho!



Maggie

7 comentários:

Papoila Bem Me Quer disse...

Suponho que não haja palavras que a possam confortar, dar-lhe alguma esperança, especialmente de uma desconhecida. Só mesmo o tempo há-de apaziguar o seu espírito, a distância pode aumentar as saudades mas acalma a turbulência dos dias mais escuros.
Ainda passou pouco tempo, as feridas ainda estão em sangue.

Um beijinho.
Papoila

TheNotSoGirlyGirl disse...

Oh :/ beijinho grande e muita força

Anónimo disse...

Pois é... é isso. E tens toda a razão para te sentires assim.
E não há mais nada a dizer porque ninguém pode mudar isso.
Só podemos deixar um beijo grande e desejar que nos próximos dias a tua mente te leve para sítios mais felizes.
Mas aproveita para sentir falta da tua mãe, para pensar nela, para lhe dar valor dessa forma. Dói, mas também é preciso. Porque ela merece ser lembrada e merece que sintas falta dela porque foi e é importante para ti.
Beijinho, Maggie, fica bem :)
Susana

ana disse...

Há dias e momentos assim, complicados. Força!

Xica Maria disse...

Ontem tive um ataque de choro ao lembrar o meu Pai.
A vida é mesmo assim, há dias bons outros maus.
Mil beijinhos de compreensão!


http://ourpicturingdays.blogspot.pt/

Mamã Petra disse...

Faz quase 6 meses que a minha partiu, e nada nem ninguém substitui a nossa mãe, mesmo sendo como a tua e quando te leio revejo-me nunca nos entendemos ás mil maravilhas mas era a minha mãe, eu adorava-a e sinto tanto a falta dela. Este ano apesar de ter uma casa cheia com 4 filhos o Natal não me cheira a Natal.

Beijinhos grandes

Nany disse...

Um beijo grande
Nany