sexta-feira, fevereiro 26, 2016

nisto da amamentação, aprendi a calar os outros


Aos 40 anos e 3 filhos depois já não tenho a menor pachorra para aturar os fanáticos da amamentação. Sim, que também há homens. Não tenho pachorra nem tenho tempo para dissertações sobre o tema, simplesmente não me interessa. 
Já sou crescida, já decido por mim há muitos anos e há uns dias depois de mais uma vez me terem perguntado se o bebé mamava bem, lembrei-me de dar o exemplo da pouca sorte da minha mãe. Uma pessoa á partida tão saudável.
A minha avó contava orgulhosa que a minha mãe quando nasceu era uma bebé grande (como se isso quisesse dizer alguma coisa de especial, se bem que há 60 anos um bebé grande devia ser sinal de muita saúde mesmo), Um mito que se desfez com o passar dos anos, graças a deus. E contava que a minha mãe tinha sido uma criança que mamou até perto dos 4 anos, lembro-me de ouvir a minha avó dizer isto muito orgulhosa do seu feito. Como se isto de ter ou não ter leite depende-se apenas e só da vontade de cada um.
A minha avó até era daquelas mulheres que tinha leite para dar e vender, mas não foi  o trazer a minha mãe agarrada ao peito que estreitou os laços entre as duas, digo eu, que nunca as vi cúmplices em nada, mais um mito que se desfez para mim. E infelizmente essas defesas todas que o leite materno dizem que dá não impediram a minha mãe de apanhar uma bactéria ainda em criança, que se alojou e lhe destruiu o coração. Que lhe condicionou a vida toda e a levou cedo demais. 

Nisto da amamentação falta haver respeito pelas opções de cada um. Quem quer e pode amamenta, quem não quer ou não pode não amamenta, mas por favor não me venham com teorias e ameaças. Não percebo isto de tentarem assustar os pais. Felizmente não resulta comigo, que sou uma mãe consciente e informada mas também sou livre, graças a deus.

Por isso não me venham contar histórias, que eu também tenho as minhas!

Boa noite


Maggie

5 comentários:

Mamã Petra disse...

Tenho 4 filhos e 2 deles praticamente só amamentei na 1ª semana, um deles mamou ate ao 1 ano de idade e outro até 1 mês, e sim somos crescidas, conscientes e informadas e à tantas condicionantes da vida e do melhor para eles que nem sempre passa passa pela amamentação. Essa das defesas então posso afirmar que as duas que foram amamentadas apenas 3 ou 4 dias foram as mais saudáveis na 1ª infância, o que mamou até ao 1 ano incrivelmente foi o mais doente dos 4. Tantas teorias e tantas pessoas com a mania que sabem melhor do que nós, pelo que leio és uma mãe excepcional.

Beijinhos e o Manuel é lindo.

Paula disse...

Muito bem Maggie!

A amamentação é boa para quem a quer e um suplício para quem não quer ou não pode.

Eu amamentei 3 porque quis. Se voltasse a ter outro agora a minha escolha seria outra. Não por me ter arrependido mas porque agora já não queria e pronto.

Tem de ser travada a saga dos fanáticos da amamentação!

Beijinhos,
Paula

Vida de Mulher aos 40

Maria do Mundo disse...

Onde assino?

D. disse...

Como entendo. Eu fui tão massacrada da minha primeira filha, para amamentar. Tentei, tentei, chorei, eu sei lá. A pobre criatura passava fome. Até ao momento em que resolvi mandar todos para as couves e fui comprar uma lata de leite. Tudo melhorou naquela casa.
Quando foi da segunda, já não me deixei ir em cantigas. Pelo sim, pelo não, antes de entrar em casa com a bebé, fui à farmácia comprar logo uma lata de leite.

Nany disse...

Tenho 3 filhos e nenhum deles mamou em exclusivo e não é por isso que sou mais ou menos apegada a eles ou que criámos mais ou menos laços.
Ter uma mãe cheia de dores no peito, um bebé mal alimentado e um stress desgraçado com a situação venham as latas de leite.
bjks