quarta-feira, junho 15, 2016

o final do ano pode ser ainda mais agitado do que o inicio

Se o inicio de um novo ano escolar traz amigos novos, livros, cadernos a estrear, e novas rotinas, o final do ano escolar vem carregado de festas e de despedidas, de decisões e de outras complicações, ui que até rimou, ahahahaha. Verdade,  é o que nos está a acontecer este ano: é o passeio de final de ano de uma e o passeio de final de ano de outra, é preciso levar as autorizações assinadas e garantir que não falham os chapéus, o dinheiro para os gelados, as garrafas de água, … Trazem também o papel da praia, é preciso decidir rapidamente quantas e quais são as semanas  em que vão, e preencher um outro papel da encomenda dos fatos de banho da escola, com os números que precisam. E precisam. Depois vem um papel da catequese, sobre o passeio de final de ano, e querem ir claro. Ainda chega um email para os pais confirmarem se vão enviar os filhos ou não para o acampamento de Verão em Agosto nas praias frias do Oeste. Chega-me também a  informação sobre as fotos da 1ª comunhão da mais nova. É preciso escolher as que interessam e pagar. Da igreja recebo ainda outro email sobre a mudança de sitio para entrarem nos autocarros, uma tem que estar numa igreja e a outra na outra igreja, da mesma paróquia e á mesma hora. Recebo emails com as instruções de fardas, e com todo o pormenor da cerimónia do final do 1º ciclo da mais velha, um dia ao final da tarde na igreja da escola. Também chega a informação da parte de uma mãe a pedir uns € para o presente da professora. Vem também a informação do que é preciso levar para a festa de final de ano na escola (uma outra tarde): comes e bebes, e a folha de inscrição para o concurso de talentos que se vai realizar nessa festa. Ainda, os pormenores sobre um jantar cerimónia organizado pelos pais do 4º ano, um jantar que está previsto durar até ás tantas. No meio disto temos ainda as fotografias para o livro de finalistas, uma blusa para comprar, que as que tem estão demasiado apertadas, e umas sabrinas que a professora diz que não podem ir de sandálias. Por falar em sandálias ainda preciso de mandar as minhas ao sapateiro para colar, as altas prateadas, e já agora arranjar os pés. Se houver tempo também dava jeito esticar o cabelo no cabeleireiro. Por vontade da professora ainda transformava a saia de peito da farda numa saia sem peito,   diz que fica melhor, pode ficar mas não vou fazer isso. Andamos em mudanças, temos metade da casa num lado e a outra metade no outro lado, andamos com um bebé de 4 meses atrás e ainda assim as coisas estão bem encaminhadas. Funcionamos bem em equipa. Telefono ao pediatra a pedir consulta para o Manuel, a consulta dos 4 meses que já está atrasada e ainda tenho que o levar ás vacinas. Entretanto vai experimentar a escola, o berçário Também vai iniciar as sopas, e o meu carro que ainda não foi para a oficina, …

Até amanhã



Maggie

5 comentários:

Anónimo disse...

Agora imagine lá ter que tratar disso tudo é gerir todo esse género de coisas, enquanto trabalha e passa 10h por dia fora de casa... E agradeça por só ter mesmo que imaginar ;)

Anónimo disse...

Vai iniciar as sopas do bebe aos 4 meses?

Mamã Petra disse...

Ainda hoje comentava isso, dá mais trabalho o final do ano do que o inicio sem duvida, para ajudar ainda tenho as festas dos Escuteiros e marcar presença em todas as festas da minha aldeia, já que sou uma das patrocinadoras, mas no fim com organização tudo se consegue e eles ficam felizes que é o mais importante.

Beijinhos

Rita_in_UK disse...

O teu pediatra não torce o nariz ao berçário? O meu chamava-lhe infectário, e olha que eu trabalhava fora. Acabei por ter pessoas em casa que os criaram por mim...Ainda fiz uma nova tentativa com o Luis, mas ou trabalhava ou estava em casa com o bebé doente e tive de me render... Bjinhs, Rita

Maggie F. disse...

para a anónima:

Cara anónima neste momento não trabalho fora de casa mas já trabalhei e possivelmente até voltarei a trabalhar, sei bem o que custa trabalhar fora, gerir uma casa e cuidar das crianças, por isso estou feliz por neste momento poder dar-me ao luxo de não trabalhar fora de casa. Não preciso imaginar e fique descansada, e já agora menos azeda, porque não é a única mulher mo mundo que trabalha fora, há milhões de mulheres que trabalham fora de casa e acumulam todas as tarefas, não está sozinha.

Beijinho grande


Maggie