segunda-feira, junho 06, 2016

vamos lá ver, eu quis voltar a ser mãe.

Em regra, a observação que se segue depois de se saber que eu também sou mãe de duas meninas de 10 e 9 anos é: elas também já ajudam, não é?… Pois, não é bem assim, ou melhor, ajudam elas ajudam mas ajudam a entreter o bebé quando ele chora e eu não posso lá chegar, ajudam a ir buscar uma fralda para mudar ou ajudam a alcançar a roupa que ele vai vestir quando eu não o posso largar no muda fraldas. É portanto uma ajuda sim, mas não no sentido em que as pessoas estão á espera. Não, elas não tocam fraldas. Não, elas também não dão o leite. Não, elas não o despem nem o vestem, não lhes dão banho, nem colocam o creme super cheiroso no fim. Está bem, deixo-as pentearem-no com a escovinha de cerdas macias mas pouco mais. E sim, elas gostariam que eu as deixasse fazer tudo o que as amigas com irmãos bebés os pais deixam fazer, mas eu não deixo. O bebé é meu e eu nisto da maternidade sou um bocadinho claustrofobica e levo o meu papel de mãe muito á séria: o bebé é meu e quem trata dele sou eu! Se fosse para o deixar ser tratado pelas irmãs eu não o teria tido. Não acho graça e não, também não concordo com quem diz que as irmãs mais velhas são também quase mães. Não são. São apenas minhas filhas com uma diferença de idade grande para o irmão mais novo mas não são mães dele, nem 2ªs mães, nem nada que se pareça. Nunca lhes passaria tamanha responsabilidade, nem tão grande carrego. Elas são crianças, ele é um bebé e eu sou a mãe, de todos!

Boa noite


Maggie

4 comentários:

Xica Maria disse...

Além de que... quase mães?... Não, são apenas e ainda crianças!
Estou contigo!

Anónimo disse...

As irmãs mais velhas com essas diferenças grandes de idade são quase mães mas é quando as mães têm uma profissão e ainda chegam a casa têm que fazer todas as lides domésticas e as filhas ajudam muito a cuidar do bebé.
Por isso não leve tanto ao pé da letra pq casos como o seu de doméstica não são referidos nas opiniões gerais..pq hoje em dia e ainda bem, as mulheres têm cada vez mais um papel activo na sociedade e os filhos orgulham-se disso mesmo q mtas vezes sejam sacrificados em algumas coisas.

Maggie F. disse...

Beijinho á anónima que trabalha fora de casa e tem um papel muito activo na sociedade. Uma anónima que também é domestica, como quase todas as mulheres mas prefere achar que é mais importante do que isso. Fico feliz por si, por se sentir bem na sua pele e espero que também fique feliz por mim, por poder dedicar-me ao que me dá mais prazer, seja lá isso o que for.
Tudo de bom.
Maggie

Mamã Petra disse...

Pois eu sou uma mãe que trabalha fora, e sim sou também a doméstica lá de casa, tenho 4 filhos e marido, e estou contigo Maggie, os irmãos são irmãos, ser irmão é fabuloso e fantástico, e ser mãe sim sou eu a mãe de todos e como tu não sou claustrofóbica sou mesmo invejosa, a bebé é minha e eu é que trato dela. Hoje em dia com 3 anos já feitos e com uma irmã de 17 e um irmão de 23 que ela adora, ás vezes lá deixo a mana dar o banho porque a pequena quer, a mana dar a sopa porque ela quer, e sim o papel dos irmãos é brincar é aquelas pequenas ajudas que falas, de trazer algo que nos esquecemos, de os entreter quando temos o jantar ao lume. Trabalho fora de casa, mas adoro ser eu a tratar da casa, a ter tudo sob controle, acho que sou mais uma vez egoísta, quero o monopólio das tarefas, e como é que consigo, com organização que tu falas e é verdade, a organização é a palavra de ordem para se conseguir tudo, e tu és um exemplo a seguir sem duvida, gosto sempre de te ler.

Beijinhos