quarta-feira, setembro 28, 2016

das coisas que não entendo

Há uns dias, em conversa com uma mãe voltei a ouvir a já celebre frase: "não está a trabalhar? ah eu era incapaz de ficar em casa".  E depois desta frase começam as queixas. Ou porque trabalham fora do país e só estão em casa 2 dias por semana, ou porque não têm tempo para nada, ou porque é uma chatice e não conseguem acompanhar os filhos, ou porque querem ir vê-los ás atividades extra e não dá … Pois percebo, por isso é que estou em casa. E estou feliz! Claro, também porque pude optar por esta vida. Tenho tempo para quase tudo, é a verdade e adoro. Há tempo para cabeleireiros, depilações e pedicuras, tempo para as reuniões nas escolas, tempo para ir falar com as professoras, tempo para ir vê-las nas actividades extra, tempo para ir aos médicos com elas e com ele, tempo para almoçar fora sem pressas, tempo ir ao Continente quando está praticamente vazio, tempo para ir olhando pelo meu pai, tempo para brincar com o meu bebé, tempo para as ajudar nos trabalhos de casa, tempo para dar um olho aos banhos delas e esfregar-lhes as cabeças senão ficam mal lavadas …, tempo para tratar de assuntos nas finanças, e tenho lá ido várias vezes nos últimos meses, tempo para orientar esta casa imensa e tempo para usufruir dela. Sim tenho tempo para quase tudo. 
Já me deixei de grandes explicações para estas frases que me vão desabafando, e que fazem todas as mulheres parecer umas profissionais do caraças quando na verdade muitas vezes têm um trabalho que é um tédio, mas precisam dele. Já me falta paciência para faze-las ver que o meu estar em casa não é enfiar um avental e passar o dia a limpar. Na verdade, os meus dias são preenchidos com a vida da família que escolhi ter e na qualidade de vida que decidi assumir. Não faço campanha para que as mulheres fiquem em casa, longe disso, mas também não gosto quando me fazem a conversa á espera de grandes respostas. Não há. Foram as circunstancias da vida que me trouxeram aqui onde estou tão bem. Não ando a lamentar-me, nem a fazer-me parecer o que não sou, pelo contrário sou até bastante mais honesta do que a maioria das mulheres que conheço e que davam tudo para ter este meu tempo mas que por alguma razão adoram dizer que vivem numa lufa lufa, quando não adoram. Adoram trabalhar mas passam a vida a queixar-se? não percebo. Há muitas mulheres felizes no seu trabalho e isso sim é fantástico, aí percebo que adorem trabalhar. E há as outras, as que tendo um trabalho pouco estimulante, pouco motivador, completamente desinteressante adoram dizer que não poderiam passar sem ele, ahahahahaha

 Eu tenho passado lindamente sem o meu ex-trabalho completamente secante, já lá vão uns 4 anos …


Boas tardes 


Maggie

3 comentários:

carla capricho disse...

Olha eu estou como tu , já não tenho grandes respostas . A primeira impressão é sempre de coitadinha porque pensam que estou desempregada , quando digo que é por opção até as figuras faciais mudam ...

Maggie F. disse...

Começo a achar que o melhor é fazer-me de desempregada aflita, assim compreendem melhor e maçam menos, ahahahaha

Bjos Carla.

SIRF disse...

deixar o trabalho! Se pudesse (monetariamente falando!) era já! Admiro-vos! Mulheres que conseguem tomar essas decisões. Assim! Já está! Eu... penso demasiado nos ses! E pronto! aqui ando eu... infeliz com o trabalho... e sem tempo para nada! Um dia... talvez um dia possa dizer o que a Maggie escreveu! I hope so!