quinta-feira, setembro 15, 2016

dos dias tristes


Se eu soubesse que crescer é passar pelas dores e aguentar de pé como se nada fosse…
 eu gostaria de ter ficado criança para sempre!

A minha mãe partiu há um ano, e eu fiquei mais dura ou mais calejada. Tornei-me mais egoísta no sentido de só me preocupar com quem me merece carinho e atenção. Percebi que perdia tempo com quem não valia a pena e fiquei mais focada nos meus e nas pessoas de quem gosto, felizmente ainda são muitas.
Não preciso de quem não gosta de mim, deixei de fazer fretes, passei a não ficar calada, passei a defender-me e a defender a minha posição. Deixei-me de cuidados demasiados com quem não me diz nada só para ser educada. Sou educada na mesma mas sou mais verdadeira, os sorrisos forçados já não faço, lamento. Isto de ver os nossos partirem dói tanto, tanto que não há palavras e aquela conversa do "lamento muito" agradeço que venha apenas de quem lamenta mesmo. Deixei de ser uma miúda a querer agradar a todos, perdi demasiado tempo com isso e não ganhei nada. Começo a habituar-me à mulher que sou hoje, cada vez mais parecida com os meus, cada vez mais perto daquilo que me ensinaram como sendo o certo. 
As minhas dores ficam cá dentro comigo mas deixam marcas mesmo que o tempo as leve devagarinho. Ás vezes fico com saudades da miúda alegre e estouvada, da miúda sonhadora e da miúda despreocupada que já fui. 
Infelizmente a vida vai nos moldando a todos, a uns mais cedo do que a outros.

(Hoje uma irmã partiu e eu fiquei mais pobre e um bocadinho mais triste) 


Ate mais logo



Maggie

2 comentários:

VerdezOlhos disse...

Tens razão, muitas vezes a nossa caminhada é marcada por coisas menos boas que apesar de nos fazerem crescer, fazem muito doer o coração. Lamento a tua perda. Coragem! Beijos

Maria Rita disse...

Maggie eu também penso assim, a vida muda-nos.
Lamento a tua perda, não sei mais o que dizer, deve doer muito e só quem passa por elas é que pode falar, tudo o que os outros dizem são apenas palavras.

Força e um abraço.