sexta-feira, outubro 14, 2016

as crianças riscam paredes? ui ui


é que as minhas crianças nunca riscaram parede nenhuma.

De manhã, em conversa com duas amigas, estas aconselhavam-me sobre a fase em que o Manuel começar a riscar as paredes de casa.
 - Riscar as paredes? nem pensar.
Uma dizia que a filha tinhas riscado as paredes com lápis de cera, a outra falava que o filho fazia desenhos e eu só pensava, que não. 
Não me recordo de nada disso. Pode haver dedadas, principalmente à volta dos interruptores mas paredes pintadas a lápis, caneta ou lápis de cera, não, nunca houve.

E também não vai haver!

Bom dia



Maggie

6 comentários:

Anónimo disse...

Claro que não! E também não vai fazer xixi fora da sanita. :p Acho um pouco tonta a sua certeza, principalmente ao terceiro filho. Costuma estar sempre ao lado das suas filhas quando desenham/pintam? Por cá, que até não deixamos as crianças temos 2 crianças que pintaram paredes (pelo menos 1/2 vezes cada um). Foram repreendidos claro e não voltaram a repetir o disparate.

RP

Maggie F. disse...

Sim, estive sempre ao lado das minhas filhas enquanto pintavam, faziam colagens, plasticinas …

Beijinho

Anónimo disse...

Pois... De fato nós valorizamos muito a expressão artística. Temos lápis de cor e folhas ao alcance dos mais pequenos. Eles passam mesmo muitas horas a desenhar e a pintar porque é uma das atividades preferidas. É, no nosso caso claro, difícil controlar TUDO o que fazem com os lápis. Sim, tivemos disparates mas nada que não fosse possível fazer desaparecer com uma demão de tinta. Não é o fim do mundo.

ana disse...

Eu até achei piada às (poucas) pinturas rupestres que apareceram (e saíram muito facilmente com água e detergente). Mas eu era uma mãe desnaturada que trabalhava enquanto lhes ia deitando o olho :))) não vem mal nenhum ao mundo por umas pinturazitas!

Anónimo disse...

Maggie, sou mãe de 2 que também nunca pintaram paredes. Trabalhei num ATL e nunca nenhuma criança riscou as paredes com lápis ou canetas.

Maggie F. disse...

Uffa, e eu já pensar que era caso raro. Obrigada.