terça-feira, outubro 11, 2016

das mães portuguesas em Inglaterra

A mim, que até simpatizo com a jornalista Ana Leal, esta reportagem deixou-me com a pulga atrás da orelha. Sou muito desconfiada. À primeira vista ficamos chocados e ofendidos com as histórias mas depois de refletir um pouco aparecem as perguntas que ficaram sem resposta. Por um lado  não conhecemos a lei, por outro desconhecemos como funcionam os serviços sociais ingleses. Também ficamos sem saber que mães são estas, que vida têm, e porque não voltaram para Portugal assim que viram que aquele país não era aquilo que elas pensavam.  Ninguém dá nada a ninguém sem pedir algo em troca, acho que todas sabemos isso, se têm subsídios para quase tudo parece-me razoável que sejam acompanhadas, não vejo aqui abuso. Não posso acreditar que as coisas se passem assim, como contaram estas mães. Não ouvimos os professores das crianças, nem as assistentes sociais inglesas, nem um advogado inglês. Faltam muitas peças nesta história. Faltou muito para convencer!


Boa tarde


Maggie

1 comentário:

Sílvia Ribeiro disse...

Concordo! Há sempre dois lados da notícia!