terça-feira, janeiro 03, 2017

em busca da miúda perdida



Umas vezes ando à procura da miúda que eu fui, outras vezes a miúda encontra-me e fico tão feliz.
Isto de envelhecer não traz só coisas más, as rugas e os cabelos brancos são um mal menor, o que dói é deixarmos morrer a miúda, ou miúdo claro, que fomos um dia. Deixar de sonhar, deixar de acreditar, sorrir cada vez menos e perder a "garra" que temos, quando ainda achamos que podemos mudar o mundo é que é grave! E por isso por vezes faço um esforço para encontrar a miúda que fui um dia, gosto muito dela e gostava de nunca deixar de a ver. Olá miúda!


Boa noite



Maggie

Sem comentários: