domingo, fevereiro 26, 2017

ainda o tema anterior, ainda da guarda partilhada dos filhos

Ahhh e aqueles pais que ficam muito indignados porque o outro mandou a criança doente para a semana, com o outro pai/mãe? a sério, é muito triste. E vai de massacrar, de chatear, de telefonar mil vezes a perguntar o que fazer, o que tomar, … e quando do outro lado deixam de atender porque já se fartaram de ouvir o outro? a sério que isto da guarda partilhada funciona? Não funcionará com a grande maioria tenho a certeza, que bom que como em tudo há excepções, ufa.



Maggie

7 comentários:

Maria do Mundo disse...

Este é um tema muito complicado. A guarda é, de um modo geral, partilhada. A residência é que pode ser alternada ou não. No entanto, para haver um bom funcionamento da residência alternada, é preciso que os pais ponham de lado o casal conjugal que falhou, para que não falhe o casal parental. Creio que na maioria dos casos é confuso para os miúdos e fomenta atritos entre os pais.

Maggie F. disse...

Falo dos casos de guarda partilha com residência também partilhada 50% com o pai, 50% com a mãe. Beijinho

ana disse...

Tudo depende da maturidade dos pais e da sua capacidade de pôr o interesse dos filhos acima de tudo. No modelo tradicional, o pai fica condenado a passar apenas 4 dias por mês com os filhos,porque é que que isso defende mais as crianças?

marina maia disse...

Tenho algumas amigas com essa situação em que nem sao telefonemas mas sim mails, e as guerras são terriveis, e quando se trata de passeios da escola? se um não disse ao outro e calha na semana do outro? mas cada vez existe mais.Para que funcione bem tem de haver muita coordenação e muito boa vontade

marina maia disse...

Mas eu concordo muito com a guarda partilhada...faltou-me dizer isto!
Beijo

Mamã Petra disse...

Estou como a Maggie e vejo casos desses aqui e um em especial de um grande amigo que cada vez que tem de entregar as filhas á mãe elas agarram-se a ele, choram, gritam e pedem por tudo para não ir, ela leva-as e na maioria do tempo estão as duas sozinhas ou na casa da avó e falta-lhes o que sempre tiveram um pai presente e com quem tinham rotinas diárias e acertadas, e a guarda partilhada serve para fazer de conta que ambos se importam, serve para mostrar á vizinhança e mais umas coisas sem nexo e as miúdas a sofrerem, enfim vai acabar em breve que uma das partes a que sempre lá esteve já anda em tribunal a trata, para quem pensa que isso da guarda partilhada são rosas, muitas vezes são espinhos sem fim. Serve a todos menos aos filhos e aos pais que se interessam.

J* disse...

Acompanhei de perto a guarda partilhada de uma criança, e tenho a dizer que nos primeiros tempos, foi um terror! Só de pensar na criança até fico com pele de galinha, de reviver o tormento que essa criança passou! Enfim...

https://jusajublog.blogspot.pt/