terça-feira, março 28, 2017

as mães são (um bocadinho, vá) mentirosas, e os pais também!

e são mesmo. Passam a vida com aquela conversa do amor incondicional pelos filhos, com aquela conversa do só quererem que os filhos sejam felizes mas na verdade não é tão simples assim. Se assim fosse não nos esforçávamos para lhes dar o melhor, ou o que consideramos ser o melhor, não babávamos por qualquer nova palavra que o bebé diz, não comparávamos bebés nem filhos. Se o importante fosse só o amor não ficávamos orgulhosos com as notas ao final do ano, nem com a habilidade que tem para tocar qualquer instrumento. Há pais que babam por qualquer coisa, muitas vezes a criança nem tem habilidade nenhuma para dança ou para o canto e os pais aplaudem muito, o que será que pretendem com isto? Se as crianças devem ser crianças e brincar porque nos esforçamos para que estudem e tenham boas notas? porque os colocamos no inglês? porque achamos importante que toquem um instrumento? porque lhes compramos roupas giras ou que estão na moda? porque desejamos sempre que se enquadrem, que façam amigos e que pertençam a um grupo? porque fazemos questão que comam o mais saudável, que não vão em conversas dos outros, que se lembrem sempre do que os pais ensinaram? porque será que nos esforçamos para que nada lhes falte? porque será que ficamos felizes quando os nossos filhos ficam em 1º lugar? claro tudo isto e muito mais porque gostamos deles e gostamos muito mas o amor não é incondicional. Pelo contrário, vem até com muitas condições. Começamos logo por achar que se nada lhes falta não há porque não tirarem boas notas, achamos que se têm roupa da moda ficam integrados com mais facilidade, achamos que por lhes mostrarmos o país e o mundo nas férias em passeios, eles terão que mostrar interesse. Criamos expectativas desde o nascimento, é por isso que vamos seguindo as etapas do crescimento e nos sobressaltamos se o bebé ainda não diz pai ou mãe quando nós achamos que já deviam dizer até muito mais. Os pais investem nos filhos e querem retorno, deixemos as hipocrisias de lado. É por isso que esperamos que os filhos um dia olhem por nós quando chegarmos a velhos, porque olhámos por eles em novos. É por isto que condenamos filhos que não querem saber dos pais quando os pais "lhes deram tudo"; é por isso que nos parece mal os velhotes serem colocados em lares quando já não podem estar sozinhos. Damos muito de nós pais e exigimos mais tarde dos filhos, o amor e o carinho que demos, a paciência e a serenidade que tivemos, ou não tivemos. Os pais querem ser amigos dos filhos, há por aí tanta mãe que se gaba de ser a melhor amiga da filha, …, Os pais querem que os filhos gostem deles e esperam no fundo que eles sejam tudo aquilo que os pais desejaram e sonharam. Os pais esperam ter orgulho nos filhos, os pais esperam receber elogios dos filhos e os pais esperam que os filhos vão à vida deles mas que voltem sempre. Não é este o sinónimo de amor incondicional, mas não importa, é amor e basta!

(vendo assim até parece um amor egoísta, mas enfim adiante…)

Bom dia



Maggie

1 comentário:

AvoGi disse...

E, geralmente, querem que os filhos sejam o que não foram, tenham o que não tiveram


Kis :={