quarta-feira, março 15, 2017

"não fales nem aceites nada de estranhos"

Esta frase que fazia parte da educação de antes e que caiu em desuso é a que mais se aplica ao caso desta miúda, a Mariana, que foi atrás da conversa de um estranho. Esta coisa de termos sempre os miúdos debaixo de olho, de os deixarmos à porta da escola, de os levarmos a casa deste ou daquele, dá uma falsa sensação de segurança aos pais. Antes o perigo estava na rua, hoje o perigo está na internet e no acesso fácil, na rapidez com que nos coloca a falar com quem quer que seja. Não sou contra a internet, as minhas filhas usam-na mas é importante lembrar os prós e os contras. Não há nada como ir explicando desde cedo os perigos que se escondem atrás dos perfis nas redes sociais. A importância de ensinar a bloquear quem não se conhece e que mete conversa, a importância de só aceitar a amizade de quem se conhece. A importância de ensinar desde cedo a não falar com estranhos, seja em casa ou seja na rua. É importante ensinar que ninguém dá nada a ninguém, que atrás de uma qualquer conversa fantasiosa pode estar "um demónio". É importante incutir-lhes uma desconfiança q.b.e promover a conversa em casa. Por mais chata que eu me possa tornar com isto, e sou chatíssima, as minhas filhas podem confirmar, não será por falta de aviso que uma coisa destas há de nos acontecer. Ninguém está livre de ser assediado mas é preciso que as crianças de hoje vejam os telejornais e o que está a acontecer no mundo.  É importante que ganhem consciência e responsabilidade desde cedo. Esconder-lhes o mundo só os fará cada vez mais ingénuos. É preciso que falem, que contem e é preciso que os pais se chateiem, todos os dias se for preciso. Eu não sou uma mãe porreira, nunca quis ser. Sou daquelas mães parecidas com as de antigamente. Sou chata quando tenho de ser, faço as vontades que acho que devo fazer, e até onde as posso fazer. Não as deixo à vontade, ou melhor deixo-as à vontade mas estou atenta. Tenho sempre o radar ligado. Falo-lhes muitas vezes de quando eu tinha a idade delas, das coisas que também me aconteciam com amigas, na escola, na rua. Por mais que façamos nada nos garante que o mal não nos acontece mas estar prevenido e alerta é meio caminho andado para que tudo corra bem. É preciso aproveitar os vídeos da PSP que andam a circular pelo Facebook, para falar sobre o tema, são simples mas diretos.

Bom dia



Maggie

4 comentários:

Cátia Martins disse...

É verdade! Eu não acho que sejamos chatas no que toca a este assunto! Beijinho

J* disse...

Parece-me muito correto! Ainda não sou mãe, mas também me vejo a ser "chata" com este género de assuntos. Falar, comunicar, esclarecer, prevenir parece-me tudo boas ideias, para que eles se consigam também defender. E parece-me muito bem que eles tenham uma ponta de desconfiança. Ter algum discernimento para conseguir perceber se é ou não é normal.

https://jusajublog.blogspot.pt/

AvoGi disse...

Mas por muito que se repita cai sempre em saco roto. As adolescentes têm a mania que tudo sabem
e desvalorizam quando os familiares alertam para essa máxima:"de não falar com estranhos"...
Kis :=}

A mamã vai casar disse...

Nunca é demais ser chata, muito chata nestas advertências.
Eu com a minha filha não vou ser chata, vou ser chatérrima :)
Beijinho