sábado, maio 06, 2017

as datas têm poder sobre nós


Têm o poder de nos deixar tristes e desanimadas ou pelo contrário, deixam-nos eufóricas e felizes.
São as datas que definem quem somos começando logo a marcar-nos com o dia do nascimento. 
As datas que se seguem e que nos vão traçando o destino são por vezes escolhidas por nós, outras vezes são obra do acaso. E há acasos bons como há grandes tragédias, fica tudo registado na nossa memória, naquela data. Depois é ir celebrando ano após ano as alegrias e as tristezas da vida.
Maio para mim é um mês com datas felizes, se deixar de lado o Dia da Mãe. 
Maio é um mês de Primavera, traz alegria, romance e paixão. Maio será sempre recordado assim, um mês cheio de momentos bons e felizes. O meu mês preferido, há muitos anos. Maio será sempre especial.
Lembro-me de mim naquela altura, no mês de Maio, já lá vão tantos anos, e ainda consigo reconhecer-me nas fotografias da época. Era uma miúda alegre e feliz, aparentemente calada, magra, para não dizer magríssima, (a minha mãe até me obrigou a ir ao médico e a fazer analises, achava que eu estava doente). Reconheço-me nas fotografias, vê-se bem que sou eu, já não sou é assim tão pura e ingénua. Não podia ser claro, ninguém é. Tenho saudades. Às vezes procuro a miúda de mini saia de ganga e tshirt, de mochila ás costas que andava depressa. Ás vezes vou à procura da miúda sonhadora e livre que eu era. Apaixonada e livre, é assim que a vejo quando a encontro cá dentro. A vida trouxe-me coisas boas não me posso queixar mas a liberdade, os sonhos e a paixão que aquela miúda tinha são a melhor recordação que guardo de mim. Maio tem o condão de me deixar assim: pensativa e mais calada. Não é triste, só um bocadinho assim, ... mais cabeça no ar! Em Maio consigo sempre reviver um pouco daqueles dias grandes e encontrar aquela Margarida a andar pelas ruas do Saldanha. E gosto de a ver, (espero nunca a perder de vista).

Todos os anos em Maio acredito que se vai fazer magia, e fico ansiosa à espera da surpresa, como se eu fosse uma menina pequena. Afinal, talvez ainda reste um pouco daquela Margarida, cá dentro.

Até amanhã



Maggie

1 comentário:

Eleina Campos disse...

Que lindas palavras!... Maio, não sei porquê, também é um dos meus meses preferidos!