sexta-feira, outubro 13, 2017

diz um novo estudo que se nasce com o gene das viagens


Eu cá não sei. Gosto de passear, gosto de conhecer sítios novos e estou disposta a aprender. Não me lembro se nasci assim ou se foi coisa que os meus pais me passaram. Lá em casa não se viajava muito, aliás há trinta e tal anos poucas eram as famílias que viajavam muito, mas íamos passeando, umas vezes mais perto de casa outras mais longe. Também se viajava com o dedo no mapa da Europa e nas fotos que os meus pais adoravam das viagens a Paris e ao norte de Portugal, que já tinham feito na altura. Não, acho que não nasci com o gene das viagens mas apanhei-o por contágio lá em casa. Não nasci com o gene das viagens mas nasci ou herdei dos meus pais o gene do inconformismo. Não sendo aventureira preciso da novidade, acho que a vida pode ser um grande aborrecimento se não sairmos do mesmo lugar. E a idade tem -me feito mais nómada, a idade e o facto de perceber que o tempo não para e eu quero aproveita-lo o mais possível. Obviamente que com três crianças não se pode passar a vida em passeios mas vamos passeando dentro do possível. Gosto de passear é certo mas também gostava de ter a experiência de viver num outro país, já falei disto aqui. 
E era aqui que eu queria chegar. Ontem a minha amiga P. dizia-me que se calhar estou a pensar demasiado nisso, eu acho que não. Só estou preparada para ir, se um dia essa oportunidade chegar. Estou preparada e com vontade, mas não vivo a pensar nisso nem a falar disso, até foi ela que puxou o assunto ... 
A família é a minha prioridade e estarmos todos juntos é o mais importante, seja onde for. 
E se um dia tiver que ser lá fora, será. Vamos. Todos. 
(e já agora: quem é que não gostava de ter essa experiência na vida?)

Boa tarde


Maggie

Sem comentários: