quarta-feira, fevereiro 21, 2018

e afinal ficamos em quê?

ensinamos os nossos filhos a lutarem e a defenderem o que acreditam, ou ensinamos a resignarem-se? A calarem-se ou a levantarem a voz, respeitosamente claro?
Um dia destes a turma da minha filha foi avaliada em educação física, individualmente leia-se. Depois de ter feito o que lhe pediram e de ter visto os colegas, o professor deu a avaliação e a minha mais nova, pouco dada a resignações não achou justa a nota que teve. Reclamou mas a única coisa que ouviu foi um: "aceita a nota Maria". Aceita a nota? pois claro que a Maria aceitou a nota, não é mal educada mas o que não aceitou foi o professor não ter explicado porque é que os colegas que fizeram o mesmo ou menos do que ela tiveram mais nota do que ela. E pergunto eu, a mãe: é de aceitar? Então mas a miúda não tem o direito de achar e de expressar? então mas afinal andamos a criar filhos interessados, lutadores, curiosos ou menos carneiros?
Acho que em teoria acreditamos todos em coisas que na prática ninguém faz, e é uma pena.

Bom dia


Maggie

1 comentário:

Anónimo disse...

Já senti o mesmo com a minha filha. Fico triste mas prefiro que ela seja educada. O que vale é que ela ainda é pequena e não liga muito às notas e ainda bem. Mas espero que no dia em que ela perceber alguma injustiça se consiga expressar e valer a sua opinião.