quarta-feira, junho 13, 2018

dos dias mais duros

Quando a minha mãe estava ainda "com vida" no hospital e nos deram a noticia, a mim grávida na altura, de que não havia nada a fazer e que teriam que desligar as máquinas devo ter entrado em choque porque retive o mínimo do que me foi dito. Não me lembro de pormenores, nem das palavras usadas, só me lembro de acenar a tudo que sim e sair, lembro-me de só querer sair dali. Lembro-me que era um domingo; lembro-me de ver policias e um padre; lembro-me que o médico era novo e lembro-me de pensar que estava grávida. Lembro-me de ter tido medo de perder o bebé com o stress da situação. Lembro-me das coisas como se fossem flashes, lembro-me de não chorar, de vir embora, de vir no carro e do telefone tocar do hospital, (lembro-me que foi o que disseram que iam fazer, que era uma mera formalidade); lembro-me que o meu cunhado ia a conduzir e lembro-me que não quis atender o telefone do hospital.Lembro-me de enviar SMS ao meu marido a contar mas a pedir-lhe para não dizer nada ás miúdas porque queria ser eu a falar com elas. E fui e falei. Os dias seguintes foram muito parecidos, um enorme vazio na minha cabeça, e recordo os acontecimentos quase sem sequencia, acho que tive a cabeça desligada. Lembro-me de tratar de tudo mas como se eu estivesse fora do meu corpo, ou estivesse em piloto automático. Por isso ás vezes estranho como é que as pessoas conseguem descrever tudo com datas e horas do que aconteceu (em situações destas), e como aconteceu. Eu tento esforçar-me para me lembrar porque não retive mesmo quase nada daqueles dias, do que me foi dito e por isso ás vezes ainda tento perceber exatamente o que se passou, o que não correu bem ... Não sei porque insisto em tentar lembrar-me, talvez queira perceber bem para aceitar melhor o que aconteceu e que não tem volta. Talvez eu precise de saber ao certo o que aconteceu para seguir em frente. É como se este fosse um assunto ainda em aberto e para o fechar preciso de juntar as peças E há peças que me faltam e fazem falta. A minha mãe também me faz falta.

Boa noite



Maggie


Sem comentários: