quarta-feira, setembro 12, 2018

no fim acertamos contas connosco

Uns dias antes da minha irmã mais velha falecer, ela quis ver o meu pai e conta uma outra irmã que assim que ela viu o meu pai e mãe dela, fez um sorriso e partiu em paz. Nunca aceitou que os pais se tivessem separado e na hora da morte quis vê-los juntos, mesmo sabendo que não estão juntos há muitos anos, mas a imagem deles ali, foi tudo o que ela precisava para poder ir.
Chegamos a este mundo sozinhos e partimos sozinhos, a verdade é essa. Na chegada esperam-nos muitos sorrisos e na partida muito choro mas estamos sozinhos. Por mais gente querida que tenhamos à volta, partimos sozinhos. Deve ser assustador, imagino. E quando o fim se aproxima fazemos contas aos disparates que fizemos, percebemos onde errámos e pedimos desculpa muita vezes. Dizem os católicos que fazemos contas com Deus, eu acredito que fazemos contas com a nossa consciência, só ela sabe o que carregamos e o que podemos levar connosco. O fim é sempre triste e o acertar de contas deve ser um alivio. 

Bom dia



Maggie

Sem comentários: